Ciência

Descoberto camaleão mais pequeno do mundo

Apenas 29 milímetros. É quanto mede aquele que será o camaleão mais pequeno do mundo, encontrado por cientistas alemães na ilha de Madagáscar. A descoberta foi publicada na revista científica PLoS ONE na passada terça-feira.
Versão para impressão
Apenas 29 milímetros. É quanto mede aquele que será o camaleão mais pequeno do mundo, encontrado por cientistas alemães na ilha de Madagáscar. A descoberta foi publicada na revista científica PLoS ONE na passada terça-feira.
 
No arquipélago de Madagáscar, a equipa encontrou quatro espécies de camaleões minúsculos. Mas o mais pequeno de todos – o 'Brookesia micra' – mede apenas 29 milímetros, o tamanho de uma unha. Os investigadores acreditam que este pequeno réptil apenas se reproduz na ilha Nosy Hara, onde foi encontrado.
 
A equipa de investigadores do Zoologische Staatssammlung (Munique), procurou estes animais minúsculos à noite, com o auxílio de lanternas, durante a estação das chuvas. “Eles normalmente vivem no meio das folhas no chão durante o dia, mas de noite sobem às árvores e podemos então vê-los”, explica Frank Glaw, líder da equipa, à BBC.
 
Segundo os investigadores, este camaleão poderá ser “um caso de nanismo insular”, fenómeno que faz com que as espécies diminuam de tamanho com o tempo, para se adaptarem a um habitat mais pequeno.
 
“É provável que a grande ilha de Madagáscar tenha produzido um grupo geral de camaleões, ao passo que a ilhota deu origem a espécies minúsculas”, apontou o Frank Glaw.
 
“Em Madagáscar, muitas espécies estão restringidas a pequenos habitats, e isso faz com que seja importante conservá-los”, afirma o investigador à BBC. A equipa de investigadores teme agora que estes animais estejam em risco de extinção, devido à sua fragilidade e caso haja alguma alteração no seu habitat.
 
Embora as quatro espécies encontradas sejam semelhantes, uma análise genética verificou que, na realidade, os camaleões dividem-se em quatro espécies, o que leva Miguel Vences, membro da equipa, a concluir que estes animais “se separaram há milhões de anos, antes mesmo de várias outras espécies de camaleões”.

Clique AQUI para aceder ao resumo do artigo na PLoS ONE.

[Notícia sugerida por Raquel Baêta, Vítor Fernandes e Elsa Martins]

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close