Saúde

Descoberta pode prever depressão vários anos antes

A atividade de uma estrutura do tamanho de uma amêndoa - a amígdala - localizada no cérebro poderá permitir prever com até quatro anos de antecedência quem vai desenvolver sintomas de depressão ou ansiedade.
Versão para impressão
A atividade de uma estrutura do tamanho de uma amêndoa – a amígdala – localizada no cérebro poderá permitir prever com até quatro anos de antecedência quem vai desenvolver sintomas de depressão ou ansiedade em resposta a acontecimentos 'stressantes' ao longo da vida.

A descoberta é de uma equipa de cientistas norte-americanos e tem potencial para ajudar os médicos a prevenir mais eficazmente as doenças mentais.

 
De acordo com um estudo, da responsabilidade da Universidade de Duke, nos EUA, publicado esta quarta-feira na revista científica Neuron, a amígdala cerebelosa é crucial para a deteção e a resposta ao perigo.

A sua atividade fornece, portanto, indícios importantes para a previsão do aparecimento de depressões ou de episódios de ansiedade, podendo, em última instância, contribuir para o desenvolvimento de novas estratégias de prevenção e tratamento. 

 
“Com frequência, os indivíduos só têm acesso ao tratamento quando a depressão e a ansiedade se tornaram crónicas e os impossibilitaram de continuar a ter uma vida normal, obrigando-os a procurar ajuda clínica”, nota, em comunicado, a investigadora Johnna Swartz, uma das autoras do estudo.
 
Segundo Swartz, o recurso à análise desta estrutura, considerada um marcador cerebral, pode dar aos especialistas ferramentas para “guiar os pacientes na busca precoce de tratamento” e para começar a tratar a doença “antes que ela altere tanto a vida das pessoas ao ponto de elas sentirem que não conseguem continuar”. 
 
Para chegar a estas conclusões acerca da importância da amígdala cerebelosa, os cientistas estudaram, através de ressonâncias magnéticas, o cérebro de estudantes do ensino superior saudáveis enquanto estes olhavam para fotografias de rostos com expressões de medo ou raiva, que são vistos como sinais de perigo e que, consequentemente, desencadeiam a ativação da estrutura, cuja atividade foi medida.
 
De três em três meses, os 753 participantes completaram, também, um questionário 'online' onde deram conta de eventos 'stressantes' e do seu impacto nas suas vidas, bem como um questionário que procurava avaliar os sintomas de depressão e ansiedade.

Aqueles em que, por outro lado, a estrutura era mais reativa, mas que não tinham passado por situações 'stressantes' recentemente, não manifestaram aumento nos sintomas. 

 
“Descobrir que um único elemento do cérebro pode dizer-nos algo importante acerca da vulnerabilidade psicológica de um paciente é assinalável e novo”, realça Ahmad Hariri, professor de psicologia e neurociências e principal autor do estudo.

De acordo com o cientista, a capacidade de este marcador de prever os sintomas no estudo realizado foi “surpreendente”. já que todos os pacientes eram saudáveis e os problemas com que tinham, na sua maioria, de se debater, eram relativamente simples, como discussões com os pais ou com colegas de trabalho. 

 
Os cientistas vão, agora, continuar a estudar os participantes envolvidos na investigação e estão também a explorar outros marcadores – como os genes – para identificar diferenças no funcionamento da amígdala e no risco relativo de ansiedade e depressão.

“Queremos saber de que forma o conhecimento que temos do cérebro de um indivíduo pode ajudar-nos a entender os seus riscos futuros”, conclui Hariri.

Clique AQUI para aceder ao estudo (em inglês).

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close