Ciência

Descoberta a “irmã mais velha” do nosso Sol

A 250 anos-luz de distância de nós há uma estrela muito parecida com aquela que nos ilumina, só que mais antiga. A descoberta foi feita por uma equipa internacional de astrónomos do Observatório Europeu do Sul.
Versão para impressão
A 250 anos-luz de distância de nós há uma estrela muito parecida com aquela que nos ilumina, só que mais antiga. A descoberta foi feita por uma equipa internacional de astrónomos do Observatório Europeu do Sul e vai permitir prever o que vai acontecer ao nosso Sol quando chegar à idade da sua “irmã” mais velha.
 
A “irmã” do Sol, referenciada como HIP 102152, situa-se na constelação de Capricórnio, a cerca de 250 anos-luz de distância da Terra. Mesmo com o dobro da idade da nossa estrela, ou seja, cerca de 8,2 mil milhões de anos, trata-se da estrela mais parecida com o Sol, que tem 4,6 mi milhões de anos.
 
A grande revelação foi feita graças às novas observações realizadas com o telescópio VLT do Observatório Europeu do Sul, do qual Portugal é um dos países-membros. Pela primeira vez, a equipa de astrónomos, liderada por especialistas da Universidade de São Paulo, no Brasil, deu conta de uma “ligação clara entre a idade de uma estrela e o seu conteúdo em lítio”.
 
“Descobrimos que a HIP 102152 tem níveis muito baixos de lítio, o que demonstra claramente, e pela primeira vez, que as gémeas solares mais velhas têm efetivamente menos lítio do que o nosso Sol ou estrelas gémeas solares mais novas”, refere Talawanda Monroe, da Universidade de São Paulo, em comunicado divulgado pelo ESO.
 
“Desta forma temos a certeza de que as estrelas, à medida que envelhecem, destroem, de algum modo, o seu lítio”, acrescenta o investigador. No caso da HIP 102152, a mesma possui ainda “planetas rochosos do tipo terrestre na sua órbita”, muito à semelhança do Sol. 

Cientistas estudaram também “irmã mais nova” do Sol

 
Para além desta “irmã” mais velha, foi ainda estudada uma outra “gémea” solar, mais nova do que o Sol – a 18 Scorpi, que tem cerca de 2,9 mil milhões de anos. No âmbito desse estudo foi utilizado o espetrógrafo UVES, montado no telescópio VLT, para separar a radiação nas suas componentes de cor e avaliarem, com detalhes, a composição química e outras propriedades das estrelas. 
 
As gémeas solares são estrelas raras e as mais parecidas com o Sol, com massa, temperatura e abundância química muito semelhantes àquele que é considerado o 'astro-rei'.

Saiba mais sobre esta descoberta AQUI.

Notícia sugerida por Elsa Martins

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close