Saúde

"Cuscovilhar" beneficia a saúde e a produtividade

"Cuscovilhar" pode ser bom para a saúde e aumentar, até, a produtividade no trabalho. A conclusão é de uma série de estudos norte-americanos, que revela que guardar segredos é equivalente a carregar às costas um peso constante.
Versão para impressão
“Cuscovilhar” pode ser bom para a saúde e aumentar, até, a produtividade no trabalho. A conclusão é de uma série de estudos norte-americanos, que revela que guardar segredos é equivalente a carregar às costas um peso constante, pelo que partilhá-los com alguém tem efeitos positivos ao nível da motivação e do desempenho em várias esferas da vida. 
 
“Quanto mais nos preocupamos com um segredo e quanto mais pensamos nele, mais gastamos os nossos recursos cognitivos e motivacionais e menos energia temos para nos dedicarmos às tarefas diárias”, explica Michael Slepian, investigador da Columbia Business School, nos EUA, e principal autor deste conjunto de estudos, em comunicado.
 
Segundo Slepian, os chamados “esqueletos no armário” – que podem ir desde a orientação sexual à infidelidade ou aos problemas monetários, passando por questões mais simples como hábitos “embaraçosos” – dificultam as relações com os outros e, no emprego, podem mesmo traduzir-se numa menor produtividade.
 
De acordo com o especialista, que trabalhou em conjunto com investigadores das universidades de Wake Forest e Stanford, a melhor solução é, portanto, partilhar com alguém em quem confiemos os nossos segredos – ou, quem sabe, os dos outros. Ou seja, o ideal é “cuscovilhar”.
 
“Às vezes, as pessoas sentem que a coisa certa a fazer é guardar um segredo, mas ao fazê-lo podem estar a sujeitar-se a consequências negativas”, alerta Slepian. De acordo com o especialista, contar aquilo que nos preocupa a outra pessoa permite aliviar o peso emocional exercido pelo segredo e ajuda a que os indivíduos sigam em frente e recuperem a produtividade.
 
Se falar do problema em voz alta não for possível, há outras alternativas: o investigador norte-americano, cujo trabalho foi, recentemente, publicado na revista científica Social Psychological and Personality Science, sugere, por exemplo, escrever o segredo num diário ou num fórum 'online' onde não se conheça ninguém, algo que tende a gerar “grande alívio”.
 
“Ao falar sobre os nossos segredos começamos a pensar neles de forma construtiva – a processá-los, a dar-lhes sentido, a aprender a lidar com eles. Portanto, reduzimos as nossas preocupações e retiramos das costas um grande fardo”, finaliza Slepian.

Clique AQUI, AQUI e AQUI para aceder aos estudos (em inglês). 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close