Cultura

Curta-metragem portuguesa premiada em Cannes

O filme "Gambozinos", do realizador português João Nicolau, ganhou, na sexta-feira, o galardão de melhor curta-metragem na Quinzena dos Realizadores, um evento paralelo ao prestigiado Festival de Cannes.
Versão para impressão
O filme “Gambozinos”, do realizador português João Nicolau, ganhou, na sexta-feira, o galardão de melhor curta-metragem na Quinzena dos Realizadores, um evento paralelo ao prestigiado Festival de Cannes. 
 
A curta portuguesa faz parte das nove que integraram a Quinzena dos Realizadores, que terminou este domingo e que englobou também, na mesma categoria, o filme “Pouco mais de um mês”, do brasileiro André Novais Oliveira, que recebeu uma distinção especial.
 
“Gambozinos”, com uma duração de 18 minutos, conta a história de um rapaz de 10 anos que se debate com a amargura da vida num campo de férias, onde é ignorado pela sua rapariga favorita e onde o seu dormitório é vandalizado por adolescentes.
 
A presença na Quinzena dos Realizadores não é uma estreia para João Nicolau, uma vez que o realizador português tinha já apresentado naquele evento as curtas-metragens “Rapace”, em 2006, e “Canção de Amor e Saúde”, em 2009.
 
De realçar que a longa-metragem francesa “Les Garçons et Guillaumen, à table” foi a grande vencedora da Quinzena dos Realizadores em Cannes, arrecadando o “Art Cinema Award” e ainda o “Prix SACD”.  A obra “The Selfish Giant”, do britânico Clio Barnard, garantiu o “Label Europa Cinemas”. 
 
Criada pela Sociedade dos Realizadores de Filmes, a Quinzena dos Realizadores tem como objetivo descobrir os filmes de jovens autores e saudar as obras de realizadores conhecidos.

Primeira “longa” de João Nicolau estreou em Veneza em 2010
 

João Nicolau, nascido em Lisboa em 1975, realizou o documentário “Calado não Dá” em 1999 e trabalhou em montagem cinematográfica, tendo colaborado em filmes de João César Monteiro, Margarida Gil e Miguel Gomes.
 
A primeira curta-metragem do cineasta português, “Rapace”, que estreou em Cannes em 2006, foi galardoada com o Prémio de Melhor Filme no Festival Internacional de Curtas de Vila do Conde, antecedendo “Canção de Amor e Saúde”, a segunda curta realizada por João Nicolau, que participou também na Quinzena dos Realizadores.
 
Em 2010, João Nicolau finalizou a sua primeira longa-metragem de ficção, “A Espada e a Rosa”, que estreou no Festival de Veneza daquele ano e que narra uma aventura entre o sonho e o surreal, sobre um personagem lisboeta a bordo de uma caravela do século XV.

Clique AQUI para aceder ao site da Quinzena dos Realizadores, onde poderá saber mais sobre todos os filmes selecionados para o evento (em inglês ou francês). 

Notícia sugerida por Maria Manuela Mendes

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close