Cultura

Curador português contratado pela Tate Gallery

O curador e crítico de arte português Miguel Amado, comissário de várias coleções portuguesas, vai integrar o departamento de curadoria da Tate Gallery, principal instituição museológica do Reino Unido, convite que atribui à "vitalidade" das artes em
Versão para impressão
O curador e crítico de arte português Miguel Amado, comissário de várias coleções portuguesas, vai integrar o departamento de curadoria da Tate Gallery, principal instituição museológica do Reino Unido, convite que atribui à “vitalidade” das artes em Portugal.

A viver atualmente em Nova Iorque, Miguel Amado considera que o convite “mostra a vitalidade das práticas de curadoria em Portugal e o crescente interesse pela arte portuguesa contemporânea no estrangeiro”.

Amado assume já a partir da próxima semana o cargo de comissário de exposições e colecção da Tate St. Ives, um dos quatro museus da instituição cultural, a par dos dois em Londres (Tate Britain e Tate Modern) e outro em Liverpool, no norte de Inglaterra.

Para o curador, o museu de St. Ives é cada vez mais “um importante centro de arte internacional”, que promove “exposições individuais e colectivas, apresentações da sua importante colecção e encomendas dedicadas a artistas e períodos modernos e contemporâneos”, explicou à Lusa.

Recentemente, venceu o “Unsolicited Proposal Program Winner” do centro de arte nova-iorquino Apex Art, um dos principais concursos internacionais para comissários, com uma proposta para a realização de uma exposição coletiva.

Financiada pela Apex Art, a exposição “The Walls That Divide Us” é inaugurada a 9 de Novembro, com obras da palestiniana Emily Jacir e da mexicana Teresa Margolles, entre outros artistas cuja obra reflecte “zonas de conflito”, seja a fronteira entre Israel e a Palestina ou do México com os Estados Unidos, afirma.

A proposta do curador português classificou-se em primeiro lugar entre 557 candidaturas de mais de 60 países.

Entre muitos outros projetos a nível internacional, Miguel Amado é ainda comissário da Fundação PLMJ, em Lisboa, e colaborou recentemente com o Museu Colecção Berardo, o Centro de Artes Visuais de Coimbra e o Museu da Cidade de Lisboa.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close