Sociedade

CTT reenviam cartas das crianças ao Pai Natal com brinde

Os CTT vão reenviar as cerca de 180 mil cartas escritas por crianças para destinatários como o Pai Natal, a Lapónia, o Pólo Norte ou a Fábrica dos Brinquedos, acompanhadas de um brinde.
Versão para impressão
Os CTT vão reenviar as cerca de 180 mil cartas escritas por crianças para destinatários como o Pai Natal, a Lapónia, o Pólo Norte ou a Fábrica dos Brinquedos, acompanhadas de um brinde. 
 
A iniciativa já data dos anos 80 e tem como princípio o reenvio das cartas dirigidas ao Pai Natal para cada um dos remetentes, juntamente com “um jogo da Glória e uma carta assinada pelo Pai Natal”. Segundo João Abreu, responsável pelo projeto 'Pai Natal dos CTT', nesta altura do ano, a empresa de correios faz questão de assumir as funções de Pai Natal, garantindo “o transporte de todos as prendas”. 
 
Também para assinalar a época, esta sexta-feira foi reservada para os filhos dos funcionários dos CTT que passaram o dia nos três grandes centros de produção e logística do país: em Cabo Ruivo (Lisboa), em Taveiro (Coimbra) e na Maia (Porto).
 
Em Coimbra, as paredes foram preenchidas por cartas adornadas com imagens dos brinquedos, desenhos e pequenas decorações. Ao mesmo tempo, as crianças iam fazendo gorros de Natal e pequenos brinquedos e ímanes de cariz natalício para o frigorífico.
 
Tomás, de dez anos, andou a montar um barco com cartolina, rolhas e molas. Não escreveu nenhuma carta porque acredita no Pai Natal só para a mãe lhe “dar as prendas”. Já Renato, da mesma idade, manda a carta todos os anos.  Citado pela Lusa, o menino conta que “é uma tradição desde pequenino”, enquanto faz um íman natalício para o frigorífico.
 
Com apenas sete anos, António faz questão de mandar “sempre cartas”, porque “o Pai Natal cumpre sempre o que peço”. O ano passado, por exemplo, “pedi um carro dos bombeiros e ele deu-me”, revela o menino com os dedos cheios de cola seca, enquanto se concentra nos acabamentos do seu gorro que, uma vez terminado, exibe com orgulho.
 
As crianças vão ainda pintar, a lápis de cera, uma espécie de postal gigante, com o logótipo dos CTT, que ficará no centro de produção de Taveiro. 
 
“Com a crise, é sempre bom dar este miminho, que nem precisa de ser algo material. O que interessa é o sorriso da criança”, contou Jorge Maymone, o Pai Natal de serviço, na central dos CTT de Coimbra.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close