Desporto

Cortiça portuguesa nos estádios do Euro 2016

Asolução vem da empresa corticeira Amorim que incorpora cortiça, relva natural e microfibras para criar um novo tipo de relvado natural que reduz o impacto das quedas dos jogadores em cerca de 40%.
Versão para impressão
Em parceria com uma empresa francesa, a Corticeira Amorim está a produzir uma cobertura que combina cortiça, relva natural e microfibras para criar um novo tipo de relvado natural que reduz o impacto das quedas dos jogadores em cerca de 40%.

A inovação esteve presente em quatro estádios do Euro 2016 depois de ser aprovada pela FIFA/UEFA, mas já é extensiva em outros países.


Em comunicado de imprensa, Carlos Manuel Oliveira, diretor-geral da Amorim Isolamentos, destaca o ótimo estado em que se encontram os relvados onde o granulado de cortiça expandida foi usado.

“Após uma intensiva  utilização dos relvados durante os jogos do Euro, os estádios com a tecnologia AirFibr apresentam um excelente nível de preservação, um testemunho claro da sua resistência", sublinha. 

 
O sistema, denominado AirFibr, passou por uma fase de investigação e desenvolvimento inicial, com vários testes no terreno, sendo apenas implementado depois de ser aprovado pela FIFA/UEFA.

Este relvado mais resiste e amortecedor foi usado nos estádios Parc Olympique Lyonnais, em Lyon; o Stadium Municipal de Toulouse; o Estádio Geffroy Guinch, em Saint-Etienne; e o Nouveau Stade, em Bordéus.

 
Portugal jogou no Nouveau Stade em Bordéus nas meias-finais, onde a seleção portuguesa venceu 2 – 0 contra o País de Gales
 
A textura da cortiça oferece uma maior absorção ao choque, minimizando o impacto do jogador com o solo. Segundo testes comparativos com relvados tradicionais, as vantagens são evidentes: os relvados AirFibr são mais “amigos” das articulações do jogadores, pois a base com cortiça (que substitui a terra convencional) reduz os impactos em 40%.

Estes relvados também preservam mais relva, durando mais tempo mesmo quando são sujeitos a grandes índices de chuva.

 
As características desta solução, os seus benefícios e o interesse demonstrado por diversos clubes antecipam a utilização da inovação em outros estádios, tanto na Europa como em outros continentes.

Notícia sugerida por Maria Pandina

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close