Cultura

Cortiça portuguesa brilha em Londres

A cortiça portuguesa vai ser o elemento estruturante do pavilhão da Serpentine Gallery, em Londres, na 12.ª edição deste conceituado programa mundial de arquitetura.
Versão para impressão
A cortiça portuguesa vai ser o elemento estruturante do pavilhão da Serpentine Gallery, em Londres, na 12.ª edição deste conceituado programa mundial de arquitetura. A opção por este material foi decidida pelo gabinete de arquitetura Herzog & de Meuron e pelo artista plástico chinês Ai Weiwei.
 
A Corticeira Amorim foi escolhida pelos arquitetos e pelo artista plástico como parceira para este projeto, fornecendo toda a cortiça que vai ser utilizada na construção do pavilhão da Serpentine Gallery, aberto ao público de 01 de junho a 14 de outubro de 2012.
 
A cortiça “surge como elemento estruturante desta obra icónica, cujo uso extensivo se justifica, segundo os arquitetos, pelas suas características”, que a descrevem como um “material natural, com fortes mais-valias aos níveis do tato e do olfato, de grande versatilidade, o que permite que seja facilmente esculpido, cortado, moldado e formado”, explica a empresa em comunicado.
 
Os arquitetos da Herzog & de Meuron descrevem a cortiça como um “material natural, com fortes mais-valias aos níveis do tato e do olfato, de grande versatilidade, o que permite que seja facilmente esculpido, cortado, moldado e formado”.
 
Referência da arquitetura mundial com 250 mil visitantes por ano
 
Apostando numa abordagem arqueológica, Herzog & de Meuron e Ai Weiwei conceberam um pavilhão que remete para a estética clássica, com onze colunas que simbolizam cada pavilhão anterior. A estrutura inclui uma plataforma flutuante que se encontra 1,5 metros do solo.  
 
O Pavilhão da Serpentine Gallery é considerado uma referência da arquitetura mundial. A iniciativa resulta na criação anual de um edifício emblemático, que atrai uma média de 250 mil visitantes por ano. Dada a realização dos Jogos Olímpicos, espera-se uma afluência bastante mais elevada durante este ano.

Frank Gehry, Rem Koolhaas, Oscar Niemeyer, Daniel Libeskind, Zaha Hadid e os portugueses Álvaro Siza e Eduardo Souto Moura foram alguns dos arquitetos de renome internacional responsáveis pelas edições anteriores.

Clique AQUI para aceder ao site da Serpentine Gallery.

[Notícia sugerida por Sofia Baptista]

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close