Negócios e Empreendorismo

Consultora portuguesa distinguida em Pequim

O município de Pequim, na China, acaba de distinguir a Sociedade Portuguesa de Inovação (SPI) pelo seu papel "na promoção da cooperação entre empresas chinesas e europeias", que lhe valeu agora o título de "Excelente Parceiro Internacional".
Versão para impressão
O município de Pequim, na China, acaba de distinguir a Sociedade Portuguesa de Inovação (SPI) pelo seu papel “na promoção da cooperação entre empresas chinesas e europeias”, que lhe valeu agora o título de “Excelente Parceiro Internacional”. O anúncio foi feito esta segunda-feira pelo representante local da consultora portuguesa. 
 
“É um reconhecimento do nosso contributo para desenvolver a cooperação empresarial entre a Europa e a China e também para a internacionalização das empresas chinesas”, afirmou Richard Deng, responsável da SPI em Pequim, onde a empresa, com sede no Porto, está instalada há 14 anos, em declarações à agência Lusa.
 
A distinção foi atribuída pela Comissão Municipal de Ciência e Tecnologia do Governo de Pequim, sede de um município com mais de 20 milhões e que tem cerca de metade do tamanho da Bélgica. 
 
Segundo Richard Deng, o segredo do sucesso – não só da SPI, mas de qualquer empresa que ambicione ter sucesso na China – é o tempo, aliado à paciência. “É preciso tempo para conhecer o mercado e estabelecer relações de confiança”, explicou.
 
“O mais importante é encontrar o parceiro certo e adotar uma estratégia de flexibiidade. Os chineses são muito flexíveis”, acrescentou ainda Deng. 
A SPI, que se foca “na temática da inovação” e nas “oportunidades de desenvolvimento dos vários tipos de organizações”, dedica-se à oferta de serviços nas áreas da Consultadoria, Formação e Investigação & Desenvolvimento. 
 
De recordar que, em Dezembro do ano passado, a empresa portuguesa foi selecionada pela Comissão Europeia para liderar um estudo de ano e meio sobre a evolução da ciência, tecnologia e inovação na China.
 
Trata-se do primeiro estudo europeu nesta área, com o objetivo de fornecer “recomendações para orientar a União Europeia e os seus países membros no desenvolvimento de uma estratégia de colaboração”, explicou, à data, a administradora da SPI, Sara Medina. 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close