Fitness & Bem-estar

Condé Nast rendida à “beleza transcendental” do Alentejo

O azul luminoso do céu, os monumentos e a gastronomia do Alentejo seduziram a revista de viagens Condé Nast Traveler (EUA) que publicou online, em Março, um elogioso artigo sobre a região do Alentejo.
Versão para impressão
O azul luminoso do céu, os monumentos e a gastronomia do Alentejo seduziram a revista de viagens Condé Nast Traveler (EUA) que publicou online, em Março, um elogioso artigo sobre a região do Alentejo. 

“Região com cozinha robusta, temperaturas quentes e vilas mediavais com uma beleza transcedental”, diz Guy Trebay, autor do texto da revista norte-americana, referindo-se ao Alentejo. Segundo o próprio, não existe melhor sítio para passear a cavalo do que este território.

Apesar desta região portuguesa ser, por vezes, considerada a nova Toscânia, Guy Trebay defende que, neste momento, o Alentejo já conquistou fama lá fora. Exemplo disso, é a quantidade de estrangeiros que frequentam a praia da Comporta (Costa Alentejana), há já vários anos, sendo que muitos adquiriram mesmo casa.

Évora também é destaca no artigo como uma cidade “que carrega o peso da História” e repleta de monumentos: O romano Templo de Diana, a Catedral pertencente ao séc. XII ou até mesmo o antigo Palácio da Inquisição que actualmente é gerido pela Fundação Eugénio de Almeida.

Murteira Reis, professor na Universidade de Évora, declara à revista que “na mente dos portugueses, o Alentejo é conhecido por proporcionar descontração e oferecer uma Natureza preservada”. A comida e o vinho, também são comentadas pelo professor, como um atractivo turístico da região.

O artigo refere ainda o queijo, as carnes e os enchidos típicos da região, especialmente na cidade de Évora e redondezas, onde o autor do artigo passou a maior parte da estadia. Os doces também fizeram as delícias de Guy Trebay, com o autor a confessar que sentiu “um misto de prazer e tristeza”, por saber que não as iria provar novamente tão cedo.

Para além de Évora, o autor menciona outras localidades importantes e históricas como Monsaraz, Vila Viçosa, Estremoz, Redondo e a cidade fortificada de Elvas, classificada como Património Mundial da Humanidade pela UNESCO, desde 2012.

A luminosidade característica da região também é elogiada pelo visitante, que destaca o facto de Portugal receber 3.300 horas de sol por ano, sendo este número muito superior às horas de sol na sua terra Natal.

Guy Trebay descreve o céu alentejano, como sendo um céu que apresenta, mesmo no Inverno, “um azul luminoso e extravagantes formações de nuvens”.

O autor do texto conclui sublinhando a imersão histórica e cultural que um visitante pode experimentar ao pisar o solo alentejano. Uma viagem que vai desde o mais antigo ao mais moderno, passando pela diversa gastronomia e pelos lugares típicos desta região.

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close