Saúde

Composto do alecrim protege a saúde dos olhos

O ácido carnósico, um composto encontrado no alecrim, é capaz de proteger a saúde ocular. A conclusão é de um grupo de cientistas norte-americanos que, após testes com ratinhos, constatou que esta poderá ser uma nova alternativa de tratamento.
Versão para impressão
O ácido carnósico, um composto encontrado no alecrim, é capaz de proteger a saúde ocular. A conclusão é de um grupo de cientistas norte-americanos que, após testes com ratinhos, constatou que esta poderá ser uma nova alternativa para o tratamento de doenças de visão associadas à idade, como a degeneração macular.
 
A equipa do Sanford-Burnham Research Institute decidiu estudar esta erva, amplamente usada na história da Ásia e nas culturas europeias recentes, em particular na alimentação, e outras semelhantes, e está agora a isolar os compostos ativos de várias plantas medicinais, documentando as suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias. 
 
Recentemente, adianta um comunicado do instituto, os investigadores, coordenados pelo neurologista Stuart A. Lipton, publicaram na revista científica Investigative Ophthalmology & Visual Science um estudo que reporta que o ácido carnósico, entrado no alecrim, promove a saúde ocular.
 
A equipa do especialista começou por descobrir, há alguns anos, que esta substância é capaz de combater os radicais livres que causam danos ao cérebro, facilitando o desenvolvimento de demências como, por exemplo, o Alzheimer.

Ácido carnósico poderá ter aplicações clínicas
 
Recentemente, estes cientistas descobriram também que substância protege a retina da degeneração e da toxicidade em culturas celulares e em experiências com ratinhos com as retinas danificadas. O estudo sugere, explicam, que o ácido carnósico poderá ter aplicações clínicas em doenças que afetam a parte exterior da retina.
 
Os testes realizados em modelos animais mostraram que os ratinhos pré-tratados com ácido carnósico apresentavam uma camada nuclear mais resistente de proteção da retina, o que indica que os elementos fotorreceptores dos seus olhos se encontravam salvaguardados. Além disso, estes provaram também ter uma atividade mais saudável.
 
Agora, os cientistas encontram-se a trabalhar em substâncias derivadas deste ácido que possam funcionar como “escudo” para os nossos olhos. “Estamos a desenvolver derivados melhorados de ácido carnósico e compostos relacionados para proteger a retina e várias áreas do cérebro de diversas condições de saúde degenerativas, como a degeneração macular e a demência”, adiantou Stuart A. Lipton.

Clique AQUI para aceder ao resumo do estudo (em inglês).

[Notícia sugerida por Maria Manuela Mendes]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Mais recentes

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close