Saúde

Composto de uvas e laranja trata obesidade e diabetes

Combate a diabetes, reduz a obesidade e melhora a saúde cardiovascular. Dois compostos presentes nas uvas pretas e nas laranjas resultaram num poderoso suplemento que especialistas britânicos querem aplicar no tratamento destas doenças.
Versão para impressão
Combate a diabetes, reduz a obesidade e melhora a saúde cardiovascular. Dois compostos presentes nas uvas pretas e nas laranjas resultaram num poderoso suplemento que especialistas britânicos querem aplicar no tratamento destas doenças.
 
Um estudo realizado pela Universidade de Warwick, no Reino Unido, demonstrou que a união destes dois compostos consumidos, habitualmente, de forma separada, traz resultados surpreendentes.

A equipa liderada pelo biólogo Paul Thornalley juntou altas concentrações do antioxidante trans-resveratrol (três) – presente nas uvas pretas – e o hesperetin (HESP) – presente nas laranjas – e criou um suplemento que baixou o nível de glucose do sangue, além de melhorar o desempenho da insulina e a saúde das artérias.

 
A nova fórmula, altamente concentrada e que deverá ser administrada em forma de cápsulas,  aumenta os níveis da proteína glyoxalase 1 (Glo1) que é capaz de neutralizar um composto nocivo, resultante do açúcar, conhecido como methylglyoxal (MG). Este composto é um dos principais  responsáveis pelo efeito nocivo do açúcar que provoca a resistência à insulina, que está na origem da diabetes. 
 
Já está provado, cientificamente, que o bloqueio do composto MG melhor a saúde de pessoas com obesidade bem como a saúde de pessoas com diabetes.
 
Embora estes compostos estejam presentes na fruta, a quantidade necessária para a melhoria da saúde não pode ser obtida com o simples consumo e de uvas ou laranjas, dizem os investigadores. 
 
O biólogo Thornalley testou a fórmula obtida com os compostos num teste clínico aplicado a 32 pessoas com excesso de peso, sendo que um grupo dos participantes serviu de controlo ingerindo um placebo. 
 
Os participantes mantiveram a sua dieta habitual e o nível de exercício físico, sendo que parte do grupo tomou o suplemento em forma de cápsula ou o placebo, uma vez por dia, durante oito semanas. 
 
No final, os investigadores fizeram análises sanguíneas para verificar o nível de açúcar no sangue e testes para verificar a saúde das artérias e outros indicadores. A equipa verificou que o grupo que ingeriu o suplemento aumentou a atividade da proteína Glo1, melhorando o desempenho da insulina (que reduz os níveis de glicemia) e o funcionamento das artérias, além de ter reduzido a inflamação das artérias. Não se registaram alterações destes parâmetros no grupo que ingeriu o placebo.
 
Embora estejam otimistas quanto as futuras aplicações deste suplemento no tratamento da obesidade e da diabetes, os investigadores sublinham que continua a ser fundamental “apostar na atividade física e numa dieta saudável” a fim de os prevenir”.
 

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close