Ciência

Comer chocolate todos os dias pode emagrecer

Consumir uma pequena porção de chocolate negro com regularidade pode permitir emagrecer mais facilmente do que, simplesmente, evitá-lo. A conclusão parte do estudo de uma equipa de investigadores da Universidade da California, em San Diego (UC San Di
Versão para impressão

Consumir uma pequena porção de chocolate negro com regularidade pode permitir emagrecer mais facilmente do que, simplesmente, evitá-lo. A conclusão parte do estudo de uma equipa de investigadores da Universidade da California, em San Diego (UC San Diego), EUA.

O grupo, liderado por Beatrice Golomb, apresentou resultados que parecem contrariar uma das maiores objeções ao consumo regular de chocolate: o facto de este engordar.

Publicado esta semana na revista científica Archives of Internal Medicine, o artigo demonstrou que adultos que comem chocolate no dia-a-dia são, na verdade, geralmente mais magros do que aqueles que não têm este hábito.

Os cientistas partiram da hipótese de que o consumo de uma pequena quantidade de chocolate todos os dias pode acartar benefícios metabólicos que levem a que a transformação de gordura por caloria seja muito reduzida e que a energia consumida praticamente compense a do alimento ingerido.

Indivíduos analisados tinham hábitos alimentares semelhantes

Para comprovar esta ideia, os autores examinaram vários dados, nomeadamente a dieta, o peso e a altura, de cerca de 1000 homens e mulheres adultas, com uma média de idades de 57 anos, do estado de San Diego.

Os resultados revelaram-se ainda mais favoráveis do que o esperado: os cientistas descobriram que adultos que comiam chocolate mais dias por semana eram mais magros (tinham um índice de massa corporal mais baixo) do que aqueles que o faziam com menor frequência.

A relação entre o peso e o consumo de chocolate tornou-se mais claro tendo em conta que aqueles que consumiam o alimento com maior regularidade não ingeriam diariamente menos calorias – pelo contrário, até ingeriam mais – e que não faziam mais exercício do que os restantes participantes. Os cientistas não encontraram outras diferenças de comportamento entre os dois grupos que pudessem explicar o fenómeno, além da ingestão de chocolate.

“As nossas descobertas aparentam poder ser acrescentadas a uma série de informações que sugerem que a composição das calorias, não apenas o seu número, é importante para determinar o seu impacto no peso, referiu Beatrice Golomb em comunicado da UC San Diego.

“No caso do chocolate”, acrescentou a líder da equipa, “estas são boas notícias tanto para aqueles que têm o hábito de comer chocolate como para aqueles que desejam tê-lo”.

Pode consultar o artigo na Archives of Intern Medicine, AQUI.

[Notícia sugerida por Vítor Fernandes, Sofia Baptista e Raquel Baêta]

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close