Saúde

Comer chocolate negro previne doenças cardíacas

Comer um quadrado de chocolate negro diariamente ao longo de uma década proporciona benefícios "significativos" a pessoas com risco elevado de vir a sofrer de problemas de coração.
Versão para impressão
Comer um quadrado de chocolate negro diariamente ao longo de uma década proporciona benefícios “significativos” a pessoas com risco elevado de vir a sofrer de problemas de coração e tem potencialidade para prevenir ataques cardíacos e enfartes.
 
Um estudo conduzido por investigadores australianos da Melbourne's Monash University envolvendo 2.013 voluntários demonstrou que o consumo de 100 gramas de chocolate com uma percentagem de cacau igual ou superior a 70% todos os dias é uma medida eficaz para reduzir a probabilidade destes episódios, muitas vezes fatais.
 
“As nossas conclusões indicam que uma terapia à base de chocolate negro pode ser usada como complemento das terapias com medicamentos ou até mesmo como alternativa aos mesmos quando haja risco elevado de doenças cardiovasculares”, revelou Ella Zomer, coordenadora do estudo, citada pela AFP.
 
De acordo com Chris Reid, outro dos especialistas que participaram no estudo, as observações efetuadas foram feitas em pacientes com fatores de risco significativos como pressão arterial elevada, níveis altos de colesterol e muito peso.
 
Posteriormente, os investigadores estimaram a probabilidade de morte por problemas cardíacos ou de acidentes cardiovasculares entre os que consumiram chocolate negro e os que não o fizeram e obtiveram diferenças importantes.

Chocolate negro é rico em antioxidantes benéficos
 
“Um dos elementos mais interessantes deste estudo é que esta é uma alternativa em termos de dieta que pode ser muito atraente para um grande número de pessoas. De facto, os estudos com chocolate mostram uma boa recetividade por parte dos pacientes”, apontou Reid.
 
O chocolate com elevados níveis de cacau é benéfico por conter químicos antioxidantes, os chamados polifenóis, que ajudam a manter os vasos sanguíneos dilatados, diminuindo a pressão arterial e favorecendo a circulação do sangue. 
 
Porém, os especialistas alertam para o facto de, como seria de esperar, o consumo excessivo conduzir à obesidade, doença que é, ela própria, causadora de problemas cardiovasculares.

“Não estamos a sugerir às pessoas que recorram ao chocolate preto como única medida preventiva, mas sim que o combinem com outras opções saudáveis, como o exercício físico”, concluiu Reid.

 
De acordo com a Organização Mundial de Saúde, as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte em todo o globo, sendo responsáveis por 30% de todos os falecimentos.
 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Mais recentes

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close