Sociedade

Combustíveis “low cost” podem chegar em 2013

O secretário de Estado da Energia, Artur Trindade, anunciou, esta quarta-feira, em conferência de imprensa, que a dinamização de redes de combustíveis 'low cost' pode arrancar em Janeiro do próximo ano.
Versão para impressão
O secretário de Estado da Energia, Artur Trindade, anunciou, esta quarta-feira, em conferência de imprensa, que a dinamização de redes de combustíveis 'low cost' pode arrancar em Janeiro do próximo ano.
 
A proposta consta do OE para 2013, onde o executivo explica que “pretende dinamizar as redes de combustíveis 'low cost' incentivando a sua comercialização, de forma a atenuar a recente subida de preços do combustível”.
 
Segundo Artur Trindade, o consumidor terá à sua disposição “mais opções” promovidas pelas empresas com postos de maior dimensão, afastando, assim, as críticas que acusam o governo de estar a interferir nas regras do mercado.
 
Novas medidas para dinamizar o emprego

As declarações do secretário de Estado da Energia surgiram no âmbito da conferência de imprensa convocada pelo ministro da Economia e Emprego, Álvaro Santos Pereira, em que apresentou duas medidas para estimular a competitividade, emprego e investimento.
 
Pelos cálculos do executivo, as novas medidas irão ajudar “pelo menos 25 mil famílias”, financiadas pelos fundos europeus e os benefícios provenientes das deduções fiscais.
 
As medidas preveem a criação de estágios profissionais para casais desempregados com filhos e incentivos às empresas, como o reembolso total da TSU, que enquadrem nas suas estruturas desempregados com mais de 45 anos e ofereçam formação em competências para desempregados. 
 
Haverá ainda incentivos ao financiamento e injeção de capital nas empresas portuguesas, apoio ao investimento e ações de promoção do empreendedorismo e inovação.

A notícia acerca das redes de combustíveis “low cost” já suscitou, entretanto, reações por parte da oposição. Embora considere que esta é uma medida positiva, o secretário nacional do PS, Jorge Seguro Sanches, declara que “esta proposta tem sido apresentada como uma nova proposta, quando a mesma já tinha sido apresentada e aprovada, no ano passado”, explica à Lusa.  

[Notícia sugerida por Patrícia Guedes]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Mais recentes

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close