Saúde

Cirurgia revolucionária cura diabetes tipo 2

A diabetes tipo 2 pode vir a ser erradicada por completo com uma cirurgia revolucionária que vem abrir um caminho de esperança para os 382 milhões de pessoas que sofrem desta doença. A técnica foi desenvolvida pelo espanhol Carlos Ballesta.
Versão para impressão
Um médico espanhol conseguiu reverter a diabetes tipo 2 em milhares de pacientes obesos através de uma cirurgia revolucionária que vem abrir um caminho de esperança para os 382 milhões de pessoas que sofrem desta doença em todo o mundo. A técnica foi desenvolvida por Carlos Ballesta, médico espanhol, no Hospital Ruber Internacional, em Madrid.

 
Os especialistas calculam que a diabetes mellitus (tipo 2) afeta entre 250.000 a 500.000 pessoas em Portugal, muitas delas ainda por diagnosticar. Apesar dos avanços da investigação científica, este problema continua a crescer, sobretudo no mundo ocidental.

Embora surja de forma discreta, os pacientes com diabetes tipo 2 correm o risco de sofrer lesões em vários órgãos. Se não for tratada, a diabetes 2 pode mesmo causar morte precoce.


O sucesso da intervenção em pessoas obesas e diabéticas ronda os 97 por cento, garante o médico

Enquanto tratava os seus pacientes obesos, Carlo Ballesta, chefe da Unidade de Obesidade e Diabetes do Hospital Ruber Internacional, em Madrid, descobriu que a cirurgia de redução de apetite desenvolvida por si revertia também o problema da diabetes.

Ao contrário do 'bypass' gástrico tradicional, esta cirurgia, batizada de cirurgia metabólica, atua na zona do intestino que está colada ao colón que é onde atuam as hormonas que fazem o metabolismo da insulina. O sucesso da intervenção, garante o médico, ronda os 97 por cento.

“Os resultados da cirurgia implementada são extraordinários”, refere o médico ao jornal espanhol ABC. A intervenção é pouco invasiva, já que se realiza através de laparoscopia, e não deixa grandes cicatrizes no paciente, considerada, por isso, uma operação de baixo risco e o paciente tem alta nas 48 a 72 horas seguintes.

No entanto, esta cirurgia só deve ser aplicada em pacientes com excesso de peso. “Todas as pessoas que tenham um IMC superior a 35 ou que apresentem um excesso de peso à volta de 30 quilos e que sejam diabéticas, hipertensas ou que padecem de alguma doença relacionada com o excesso de peso, como por exemplo hérnias discais, são indicadas para esta cirurgia”, explica Carlo Ballesta.

Um caso de sucesso

Um exemplo que comprova o eficaz resultado desta cirurgia metabólica é o caso de Andrés Raya, a quem lhe foi diagnosticado Diabetes Mellitus tipo 2, aos 56 anos de idade. “Sentia-me muito cansado, como se tivesse vivido 100 vidas. Não tinha energia”, refere.

Foi, então, através de uma conversa com um familiar que Andrés descobriu que poderia ser operado a esta doença. Foi operado no dia 22 de Setembro de 2012, com 63 anos, e a partir daí a sua vida mudou. “Sou uma pessoas nova”, confessa ao ABC.

Atualmente, o médico Carlos Ballesta já operou mais de 3.000 pessoas com diabetes e todos os centros que realizam esta intervenção, em Espanha, recorrem às orientações definidas pelo cirurgião.

Notícia sugerida por Maria da Luz

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close