Cultura

Cinemateca portuguesa recebe prémio internacional

A Cinemateca Portuguesa - Museu de Cinema foi distinguida, em França, com o prestigiado Prémio Henri Langlois pelo trabalho desenvolvido nas áreas de conservação e restauro de filmes. A cerimónia de entrega acontece dia 11 de Abril, em Paris.
Versão para impressão
A Cinemateca Portuguesa – Museu de Cinema foi distinguida, em França, com o prestigiado Prémio Henri Langlois pelo trabalho desenvolvido nas áreas de conservação e restauro de filmes. A cerimónia de entrega acontece dia 11 de Abril, em Paris.

O reconhecimento surge no âmbito do festival “Rencontres Internationales de Cinéma de Patrimoine” onde José Manuel Costa, diretor da Cinemateca Portuguesa, vai estar presente.  

A cerimónia também contará com a presença da atriz italiana Claudia Cardinale, presidente do Comité de Honra do evento, descrito pela própria como “um símbolo de um combate que alguns levam a cabo para a descoberta ou redescoberta de obras maiores do património mundial, obras que merecem ser preservadas, restauradas e protegidas como tesouros da nossa memória coletiva e cultural”.

Durante a cerimónia será exibida a cópia, recentemente restaurada, do filme “Mudar de Vida”, de Paulo Rocha. A programação também vai incluir a exibição de pequenos filmes rodados em 1896 por Aurélio da Paz dos Reis, pioneiro do cinema português.

As edições anteriores premiaram os Arquivos CNC francês, o Instituto Lumière de Lyon e as cinematecas de Bolinha, Berlim, Amesterdão, Luxemburgo e São Paulo.

10 anos de Prémios Henri Langlois

2016 assinala o 10.º aniversário da iniciativa que também reúne os Encontros Internacionais de Cinema do Património. A programação do Encontro inclui debates, conferências e exposições.

Os Prémios Henri Langlois destinam-se a técnicos, atores, realizadores, fundações e cinematecas cujo trabalho, em qualquer parte do mundo, contribui de forma relevante para o conhecimento e transmissão do património.

“No seu conjunto o acontecimento decorre sob  chancela 'Seguindo os passos de Henri Langlois', desse modo evocando um dos mais célebres pioneiros de todo o movimento das cinematecas, aquele que, em 1936, juntamente com Georges Franju, Paul-Auguste Harié e Jean Mitry, fundou a Cinemateca Francesa, organismo que dirigiu até à sua morte, em 1977, com 62 anos de idade”, revela a Cinemateca em comunicado.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close