Cultura

Cinema: Filme português vence festival na Austrália

O filme "As 1001 Noites", do português Miguel Gomes, foi o grande vencedor da 62.ª edição do festival australiano Sydney Film Festival (SFF). A trilogia sobressaiu entre os 12 finalistas de todo o mundo a concurso e ganhou prémio de 55.000 euros.
Versão para impressão
O filme “As 1001 Noites”, do português Miguel Gomes, foi o grande vencedor da 62.ª edição do festival australiano Sydney Film Festival (SFF). A trilogia, que sobressaiu entre os 12 finalistas de todo o mundo a concurso, valeu ao realizador um prémio monetário no valor de aproximadamente 55.000 euros.
 
Dividida em três partes, a película, com uma duração total de cerca de seis horas, constitui-se como “um retrato vívido do Portugal de hoje”, inspirado pela austeridade e por histórias reais recolhidas por todo o país por um grupo de jornalistas “recrutado” por Miguel Gomes e que foram, posteriormente, ficcionadas. 
 
Considerado “extraordinário” e “singular”, o filme “As Mil e Uma Noites” é descrito, no site oficial do festival australiano, como “um trabalho ambicioso, indignado e recheado de um humor pouco convencional” e como uma “fotografia de um país em dificuldades económicas que vai ecoar muito além das fronteiras de Portugal”. 
 
“[É] um filme de ambição e visão política que confronta, frustra e encanta e que, em última instância, nos recorda que o cinema continua a ser um veículo poderoso para a análise da condição humana”, afirmou Liz Watts, realizadora e presidente do júri do concurso, citada pelo jornal local Sydney Morning Herald.
 
Segundo Watts, trata-se de um filme “atual”, já que lida com “as medidas extremamente austeras que resultaram na opressão e na exploração em Portugal”.

“['As 1001 Noites'] recorda-nos que a esperança e a resistência são fundamentais para o espírito humano”, disse ainda a australiana, famosa pela realização do filme “O Reino Animal”, de 2010.

Veja o trailer de “As 1001 Noites”, de Miguel Gomes
 

Em comunicado, Miguel Gomes, que está, neste momento, a participar num festival de cinema na Lapónia, disse estar muito satisfeito com a distinção. “É fácil ser premiado quando conseguimos que o nosso filme seja exibido três vezes”, brincou o realizador. 

Nascido em Lisboa em 1972, Miguel Gomes conquistou a crítica internacional com a longa-metragem “Tabu”, que estreou há três anos e somou prémios por todo o mundo. 
 
Entre os trabalhos mais célebres do cineasta, formado na Escola Superior de Teatro e Cinema do Instituto Politécnico de Lisboa, está, por exemplo, o filme “Aquele querido mês de Agosto”, uma coprodução portuguesa e francesa de 2008.
 

Clique AQUI para aceder ao site oficial do filme.

Notícia sugerida por Maria da Luz

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close