Cultura

Cinema: Coprodução portuguesa premiada no Brasil

O filme "I Love Kuduro", um documentário conjunto da produtora portuguesa BRO e a empresa angolana Da Banda, acaba de ser distinguido no festival Cineport, no Brasil, com o prémio de Melhor Fotografia.
Versão para impressão
O filme “I Love Kuduro”, um documentário conjunto da produtora portuguesa BRO e a empresa angolana Da Banda, acaba de ser distinguido no Cineport – Festival de Cinema de Países de Língua Portuguesa, acolhido pelo Brasil, com o prémio de Melhor Fotografia, atribuído ao diretor de fotografia português Pedro Patrocínio.
 
Esta coprodução, realizada por Mário Patrocínio, é o mais recente projeto cinematográfico da dupla de irmãos portugueses, que já assinou, também, o documentário “Complexo: Universo Paralelo”, sobre a maior favela do Rio de Janeiro, premiado em 2011 com o galardão de Melhor Filme Internacional na categoria de Direitos Humanos no Artivist International Film Festival, em Hollywood, EUA. 
 
O diretor de fotografia português Pedro Patrocínio, que se estreou nesta arte aos 20 anos de idade num documentário sobre o Centro Educacional Nhô Djunga, em Cabo Verde, recebeu o galardão de Melhor Fotografia (o Troféu Androinha) pelo filme “I Love Kuduro” no passado sábado.
 
A longa-metragem documental “I Love Kuduro”, filmada em Angola, retrata o Kuduro, é o mais popular movimento cultural urbano daquele país, criado nas discotecas e 'raves' de Luanda, enquanto fenómeno urbano que arrasta multidões de jovens em África e que se começa a expandir um pouco por todo o mundo. 


Pedro Patrocínio, diretor de fotografia premiado, e Mário Patrocínio na companhia do produtor angolano Coréon Du (à esquerda), com quem colaboraram para dar vida ao documentário
 

Através deste filme, aquele ritmo musical é apresentado como expressão cultural de uma Angola em recuperação por intermédio de algumas das mais idolatradas estrelas “Kudurenses” e da nova geração de talentos angolanos, que explicam a influência deste fenómeno nas suas vidas.
 
“I Love Kuduro” estreou-se, com sucesso, no Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro, passou também, em Outubro de 2013, pelo DocLisboa, para uma sessão esgotada, e regressou, entretanto, ao Brasil, para ser exibido em vários festivais em São Paulo, Porto Alegre e Rio Grande do Sul.
 
O filme, que se encontra a percorrer o circuito de festivais de cinema e que deverá estrear nas salas de cinema ainda em 2014, foi também selecionado para o HotDocs International Documentary Festival, o maior festival de documentários da América do Norte, vai estar presente no Festival Lusophone Film Fest of Nairobi, no Quénia, e ainda no Fist Up Film Festival, na Califórnia, EUA. 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close