Portugal Excelência

Cinco hectares de lavanda para visitar no Alentejo

Um projeto português transformou uma simples quinta num espaço único, onde a lavanda é o conceito base e tudo o resto se desenvolve à sua volta.
Versão para impressão
Há mares de lavanda a crescer no Alto Alentejo. Estêvão de Moura e Teresa Tomé deixaram Lisboa para trás e compraram uma quinta em Castelo de Vide com cinco hectares onde nasceu a primeria plantação de lavanda do país. Qualquer pessoa pode visitar este espaço e conhecer os produtos feitos a partir da lavanda.

Por Gisela Gomes

 
Numa propriedade de cinco hectares, “o conceito da Quinta das Lavandas é constituído por três vertentes: os campos de lavanda, compostos por duas variedades de lavanda, a destilaria com o alambique, onde 90 porcento das flores são usadas para fazer óleos essenciais, e uma terceira vertente de turismo rural.”

O projeto começou com a plantação de lavanda, a primeira de Portugal. O espaço que Teresa e Estêvão compraram, em 2011, tinha apenas “alguns olivais” que foram aproveitados e um edifício velho que foi “totalmente renovado”.

Teresa e Estêvão pesquisaram e testaram para confirmar se era possível plantar lavanda em Portugal. O terreno acolheu com sucesso a plantação e assim nasceu “a destilaria de óleos essenciais e um lagar para o azeite”.
 

Quem quiser pode fazer uma visita guiada à plantação e caminhar entre as flores lilases da lavanda. Teresa conta ao Boas Notícias que, desde Maio, a Quinta já recebeu “mais de 500 visitantes” e esperam receber muitos mais até Setembro, altura em que terminam as visitas.


Por sete euros é possível fazer uma visita guiada à plantação e conhecer os produtos produzidos na quinta

É possível também visitar a destilaria e observar o processo de produção dos óleos e dos sabonetes “biológicos e certificados” e com propriedades calmantes. Também são produzidos sacos com cheiro, mel de lavanda e artesanato. A maior parte dos produtos são vendidos a visitantes e turistas, mas alguns também são exportados para lojas em Lisboa.
 

Além da exploração da lavanda, o casal apostou numa oferta de turismo rural. O espaço só tem sete quartos e Teresa afirma que não há “desejo de expandir”, mas sim o desejo de “melhorar sem crescer”.


Com tudo isto a funcionar ao mesmo tempo, gerir a Quinta das Lavandas não é tarefa fácil. Quando estava em Lisboa, Teresa era gestora de consultoras de informação e Estêvão gestor de empresas e professor universitário. Agora fazem "a gestão da própria empresa” e de “todas as tarefas da quinta”.
 
Com 60 anos, Teresa brinca que este “não é o caminho para a reforma”, mas é sem dúvida um projeto gratificante. “Fazemos aquilo que nos dá prazer e sentimos-nos bem a receber pessoas e partilhar o que gostamos com os outros”, conclui.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close