Inovação e Tecnologia

Cientistas criam primeira mão biónica com tato

A primeira mão biónica é controlada pelo pensamento e permite ao utilizador sentir os seus dedos, a palma da mão e o pulso.
Versão para impressão
As pessoas com membros amputados vão poder voltar a ter o sentido do tato através da primeira mão biónica sensível. O protótipo vai ser testado pela primeira vez este ano e promete desenvolver uma nova geração de criações no âmbito da biomedicina.
 
O projeto inovador foi desenvolvido pela Escola Politécnica Federal de Lausana, na Suiça, pelo Project TIME, projeto de investigação da Comissão Europeia, e pela empresa Prensilia, empresa italiana de alta tecnologia e design.

As entidades pretendem garantir ao utilizador o controlo da mão biónica através do pensamento que, por sua vez, enviará estímulos para o seu cérebro através dos sensores na ponta dos dedos.

 
Esta tecnologia garante um fluxo bidirecional mais rápido na transmissão de informação entre o sistema nervoso humano e a mão biónica. O novo sistema permitirá ao utilizador sentir os seus dedos, a palma da mão e o pulso.
 
Silvestro Micera, professor na Escola Politécnica Federal de Lausana, explicou ao jornal britânico Daily Mail que este é “um verdadeiro progresso e uma real esperança para os amputados”.
 
Após este projeto, o cientista acredita que poderá “estar na eminência de dar novas e mais eficazes soluções clínicas para pessoas com membros amputados já a partir do próximo ano”.
 
Em 2009 foi desenvolvida uma primeira versão deste projeto, apenas com duas áreas de sensores. O protótipo foi testado num homem que perdeu metade do seu braço num acidente de viação, revelando os primeiros passos da equipa em direção a uma mão biónica mais próxima do real.
 
[Notícia sugerida por Patrícia Guedes]

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close