Ciência

Cientistas criam ovário artificial biocompatível

Cientistas norte-americanos encontraram uma solução mais eficaz para o tratamento da perda de funcionalidade dos ovários. Um ovário artificial biocompatível é apresentado como uma alternativa aos fármacos que trazem complicações para o doente.
Versão para impressão
Cientistas norte-americanos encontraram uma solução mais eficaz para o tratamento da perda de funcionalidade dos ovários. A terapia surge como uma alternativa à substituição hormonal através de fármacos que, muitas das vezes, trazem complicações para o doente.
 
A investigação – publicada no jornal Biomaterials – foi realizada no Wake Forest Institute for Regenerativa Medicine, nos Estados Unidos da América, e propõe a criação de uma cápsula capaz de regular a produção de hormonas com mais chances de ser bem recebida pelo organismo.
 
Esta espécie de ovário artificial é composta por material biocompatível que, por ser permeável, permite que as células recebam os estímulos externos necessários para começarem a atuar e que as hormonas produzidas pelo corpo possam sair.
 
O órgão bioartificial é capaz de segregar hormonas de uma forma natural, o que permite que o paciente não tenha de ingerir uma dose diária de medicamentos para garantir que seja bem recebido pelo organismo.
 
“O objetivo é desenvolver um tecido – ou uma terapia hormonal com base em células – que forneça hormonas sexuais de uma forma mais natural do que os fármacos. Um ovário bioartificial tem o potencial de segregar hormonas de uma forma natural, consoante as necessidades do corpo”, explicou Emmanuel Opara, coautor do estudo, no site oficial do instituto norte-americano.
 
Para além de evitar os efeitos secundários dos medicamentos, a cápsula biocompatível tem a capacidade de se defender de uma possível reação imunitária, evitando uma rejeição do próprio corpo. O ovário artificial é recetivo a hormonas como estrogénio e progesterona e está também preparada para deixar entrar oxigénio e nutrientes essenciais para garantir que as células se mantenham vivas.

[Notícia sugerida por Neide Areia]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close