Ciência

Ciência: “Nature” aponta portuguesa como exemplo

A bióloga portuguesa Mónica Bettencourt-Dias surge em destaque numa das mais antigas revistas científicas do mundo. O artigo da Nature pretende comemorar o Dia Internacional da Mulher e a sua contribuição para o mundo científico.
Versão para impressão
A bióloga portuguesa Mónica Bettencourt-Dias surge como única representante das mulheres cientistas da Europa num artigo da revista Nature que comemora o Dia Internacional da Mulher e a sua contribuição para o mundo científico.

A cientista de 39 anos ganha, assim, destaque numa das mais antigas e prestigiadas publicações científicas do mundo. Mónica Bettencourt-Dias é especialista no estudo das células e o seu trabalho é distinguido ao lado de outras três cientistas internacionais.

A imunologista brasileira Keity Souza Santos, a neurocientista norte-americana Kay Tye e a cosmologista sul-africana Amanda Weltman completam o artigo especial dedicado às mulheres.

O artigo “A partir da linha da frente: a ciência aos 30 e tal” revela uma pequena biografia sobre cada uma das investigadoras e distingue os seus esforços para conjungar as responsabilidades profissionais que têm com o papel de mães a tempo inteiro.


“Partilhar é uma filosofia da vida de Mónica Bettencourt-Dias; as suas descobertas são feitas nesses termos. No laboratório, ainda se concentra na comunicação apertada e na organização imposta pelas células”, salienta o artigo.
 
O percurso da bióloga portuguesa é marcado pela sua descoberta na Universidade de Cambridge, na Inglaterra, de um regulador principal do centrossoma, região específica da célula, que lhe valeu o seu primeiro artigo publicado na Nature.

Este progresso fez com que Mónica Bettencourt-Dias voltasse a Portugal e montasse o seu próprio laboratório, em 2006, no Instituto Gulbenkian de Ciência, em Oeiras.

 
Investigadora principal do grupo de Regulação do Ciclo Celular, a bióloga recebeu, em 2010, uma bolsa Starting Grant do Conselho Europeu de Investigação no valor de 1,5 milhões de euros.

A sua mais recente distinção ocorreu no início deste ano, com a bolsa “Keith R. Porter”, atribuída pela Sociedade Americana de Biologia Celular, que reconheceu a excelência do seu trabalho, como o Boas Notícias divulgou na altura.

 
Clique AQUI para consultar o artigo completo da revista Nature (em inglês).

[Notícia sugerida por Ana Oliveira e Carla Neves]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close