Mundo

China: Internet ajuda a encontrar criança raptada

Há três anos, o pequeno Peng Wenle foi sequestrado à porta de um estabelecimento comercial em Shenzen, na China. O menino, agora com seis anos, regressou finalmente para junto dos pais, graças aos milhões de utilizadores de um site semelhante ao Twit
Versão para impressão
[Fotografia: © STR/AFP/Getty Images]

Há três anos, o pequeno Peng Wenle foi sequestrado à porta de um estabelecimento comercial em Shenzen, na China. O menino, agora com seis anos, regressou finalmente para junto dos pais, graças aos milhões de utilizadores de um site semelhante ao Twitter, que ajudaram a divulgar o caso.

O incidente foi, na altura, registado pelas câmaras de vigilância no local, mas mesmo assim as autoridades não conseguiram encontrar Wenle. O pai, Peng Gaofeng, decidiu então recorrer à Internet para acelerar o processo de buscas.

O caso chegou ao conhecimento de um jornalista da revista Phoenix Weekly, Deng Fei, que partilhou a notícia no site Sina Weibo, uma plataforma de microblogging equivalente ao Twitter na China. Dos dois milhões de seguidores de Deng Fei, muitos divulgaram a história e este mês a família Gaofeng recebeu, finalmente, boas notícias.

Foi um estudante da Universidade de Jiangsu, a mais de mil quilómetros do local de residência do menino desaparecido, que acabou por avistar Wenle, na aldeia de Pizhou. Depois de lhe ter tirado algumas fotografias, enviou-as para o pai, que assim localizou o seu filho ao fim de três anos.

Um teste de ADN confirmou a boa nova e o menino regressou à sua terra natal na passada semana. Segundo declarações dos pais ao Wall Street Journal, o homem que o sequestrou morreu no ano passado, mas Wenle continuou a ser bem tratado e já frequentava a escola.

“Sinto um grande ódio [pela mulher que cuidou de Wenle], mas optei por não a processar porque vejo que o meu filho está muito ligado a ela. Não quero que ele me odeie mais tarde. A única coisa que quero neste momento é garantir a sua saúde física e mental”, afirmou Peng Gaofeng.

Estima-se que até 20 mil crianças sejam raptadas todos os anos na China. Algumas são vendidas para famílias que não têm filhos ou a grupos mafiosos.

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close