Ciência

Células solares ecológicas feitas a partir de plantas

Um grupo de cientistas norte-americanos conseguiu criar células fotovoltaicas com recurso a substratos naturais derivados de plantas, uma solução renovável e eficiente, com menores impactos negativos sobre o ambiente do que as opções atuais.
Versão para impressão
Um grupo de cientistas norte-americanos conseguiu criar células fotovoltaicas com recurso a substratos naturais derivados de plantas, uma solução renovável e eficiente, com menores impactos negativos sobre o ambiente do que as opções atuais.
 
Os investigadores do Georgia Institute of Technology (Georgia Tech) e da Purdue University desenvolveram células solares com substratos de nanocristal de celulose (CNC) provenientes de árvores e que podem ser recicladas rapidamente após o seu ciclo de vida se forem colocadas em água.
 
O desenvolvimento foi dado a conhecer através de um estudo publicado na revista científica Scientific Reports e, segundo a equipa, estas células solares orgânicas alcançaram um poder de conversão do sol em energia de 2,7%, um valor nunca antes visto em células derivadas de fontes renováveis e puras.
 
De acordo com um comunicado divulgado pelo Georgia Tech, os substratos de CNC com os quais estas células fotovoltaicas são fabricados são transparentes, permitindo a passagem da luz, que é, depois, absorvida por uma finíssima camada de um semicondutor orgânico.
 
Para se proceder à sua reciclagem, basta mergulhá-las em água à temperatura ambiente e, em minutos, os nanocristais de celulose dissolvem-se e podem separar-se facilmente os principais componentes das células solares.


Bernard Kippelen, coordenador do estudo (à direita), com dois dos alunos envolvidos na investigação

Uma tecnologia “reciclável, sustentável e renovável”
 

Segundo Bernard Kippelen, coordenador do estudo e professor de engenharia, este projeto abre a porta à criação de uma nova tecnologia de células solares verdadeiramente reciclável, sustentável e renovável.
 
“O desenvolvimento e desempenho dos substratos orgânicos na tecnologia solar continua a melhorar, dando aos engenheiros uma boa indicação em relação às futuras aplicações”, afirma Kippelen, que defende que, ainda assim, “as células solares orgânicas têm de ser recicáveis”.
 
“Caso contrário, estaremos a resolver um problema – permitindo uma menor dependência de combustíveis fósseis – e a criar outro ao mesmo tempo, desenvolvendo uma tecnologia que produz energia a partir de fontes renováveis mas não pode ser reciclada no fim da sua vida”, alerta.
 
Bernard Kippelen adianta que o próximo passo da equipa vai ser “trabalhar para melhorar a eficiência da conversão energética em 10%, alcançando níveis semelhantes aos das células solares fabricadas com recurso a vidro ou substratos derivados de petróleo”.
 
Para o fazer, os especialistas pretendem otimizar as propriedades óticas do elétrodo das células solares. “Além disso, vamos cobrir estas células com uma fina barreira – amiga do ambiente – para as proteger da água e do oxigénio quando se encontrem a operar no terreno”, revela.
 
Atualmente, as células solares orgânicas são, por norma, fabricadas com vidro ou plástico, dois materiais difíceis de reciclar, ou com recurso a substratos de petróleo pouco ecológicos. Os substratos de papel também têm sido tentados, mas com fracos desempenhos, devido à sua textura e porosidade.

Clique AQUI para aceder ao estudo completo (em inglês). 

Notícia sugerida por Patrícia Guedes

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close