Sociedade

Cascais: Medicamentos gratuitos para carenciados

A Câmara Municipal de Cascais acaba de renovar um protocolo com 31 farmácias do concelho para comparticipação dos medicamentos dos cidadãos em maior vulnerabilidade socioeconómica.
Versão para impressão
A Câmara Municipal de Cascais acaba de renovar um protocolo com 31 farmácias do concelho para comparticipação dos medicamentos dos cidadãos em maior vulnerabilidade socioeconómica. Este ano, os esforços vão ser aumentados, com o apoio às famílias mais carenciadas a subir até à comparticipação de 100% num investimento total de  75.000 euros.
 
Em comunicado, a autarquia explica que o acesso aos cuidados primários de saúde da população, nomeadamente a acessibilidade ao medicamento, está entre as “preocupações fundamentais” do município, em especial “quando os custos financeiros com os medicamentos associados a doenças crónicas, súbitas e endémicas se tornam elevados para os munícipes com menores recursos”.
 
Como tal, foi estabelecida, em 2011, uma “forte parceria com farmácias e organizações concelhias com intervenção psicossocial”. O ano passado, a parceria foi ajustada, “originando uma nova estratégia” que congregou 31 farmácias e 26 organizações na prestação de cuidados de saúde e respostas sociais.
 
Durante este período, a autarquia apostou na sinalização e acompanhamento de casos e famílias e, em 2012, definiu uma comparticipação em 50% do valor da despesa com medicamentos comparticipados pelo Serviço Nacional de Saúde.
 
Com a renovação do protocolo, que está atualmente em vigor, “o investimento aumenta, em 2013, para mais do dobro relativamente a 2012 e será de 75.000 euros, com uma maior comparticipação por parte da autarquia, que poderá chegar aos 100%”, permitindo a certas famílias conseguir medicamentos gratuitos.

“Passo importante” para ajudar muitas famílias
 

Segundo Carlos Carreiras, presidente da Câmara de Cascais, este protocolo é “um excelente exemplo de um trabalho em rede de proximidade e competência, que só aconteceu porque as farmácias deram o primeiro passo” e ao qual a autarquia “se associou e agora apoia”.
 
Para Ana Tojal, responsável da Associação Jerónimo Usera, uma das instituições que sinalizam famílias carenciadas em Cascais, esta relação próxima da autarquia com as instituições e farmácias “é um passo importante para ajudar muitas pessoas que carecem de cuidados de saúde, mas sobretudo para ajudar as famílias com mais dificuldades porque a saúde é um problema que pode destruturar a vida pessoal mas muitas vezes a vida familiar”.
 
Maria Manuel Grincho, da Farmácia Grincho, na Parede, uma das farmácias envolvidas na iniciativa, partilha da mesma opinião. “Temos de felicitar a Câmara Municipal de Cascais por este apoio e pela relação que aqui se cria”, afirma, em comunicado. 
 
“A acessibilidade aos medicamentos é uma necessidade da população pelo que nós [farmácias] continuaremos sempre ao lado dos mais pobres, dos mais desfavorecidos”, conclui.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close