Saúde

Cancro: Vacina já está a ser testada em humanos

A vacina WDVAX, desenvolvida por um centro de pesquisa norte-americano, em 2009, conseguiu um sucesso de 90% nos testes em ratinhos. Agora, e durante os próximos dois anos, a vacina está a ser testada em 25 pacientes.
Versão para impressão
A vacina WDVAX, desenvolvida por um centro de pesquisa norte-americano, em 2009, conseguiu um sucesso de 90% nos testes em ratinhos. Agora, e durante os próximos dois anos, a vacina está a ser testada em 25 pacientes que sofrem de cancro com metástases, avança a edição desta semana da revista Nature

 
O centro de pesquisa oncológica Dana-Farber/Brigham and Women's Cancer Center, com sede em Boston (EUA), desenvolveu a vacina WDVAX, em 2009, numa pesquisa liderada pelo bioengenheiro David Mooney, da Universidade de Harvard. 

A vacina consiste num implante que consegue recrutar e programar as células do sistema imunológico dos indivíduos tornando-o mais resistente. Para isso, o implante está embebido com uma mistura de três ingredientes – proteínas secas de tumores, proteínas conhecidas como fator de crescimento que promovem o crescimento de células saudáveis e moléculas de ADN.

Estes ingredientes são depois comprimidos através de uma técnica de alta pressão num plástico poroso e biodegradável onde as células do sistema imunitário conseguem penetrar.


90% por cento de sucesso

Os resultados desta vacina obtidos nos testes em ratinhos foram promissores: 90 por cento dos animais que receberam a vacina WDVAX sobreviveram à doença embora a sua esperança de vida fosse inferior a um mês. Graças a este sucesso a vacina está agora na primeira fase de testes em humanos. 

 
Os investigadores que provaram a eficácia da WDVAX em animais acreditam que a vacina também será eficiente em humanos. Sabe-se que todos os elementos da vacina, individualmente,“são seguros”, diz David Mooney, citado pela Nature, “e sabemos que podem ser aplicados em quantidades muito maiores do que as que estamos a usar”, acrescenta.
 
O único ingrediente novo que está a ser usado na vacina humana é o extrato do tumor da pele (melanoma), que vai mostrar ao sistema imunitário que estas células são ‘más’ e devem ser eliminadas. Uma vez que o extrato é retirado do próprio doente, não representará um risco, garante o investigador.

25 doentes testados nos próximos dois anos

A fase I dos testes começou em Agosto deste ano e está a ser liderada pelo oncologista da Dana-Farber, Stephen Hodi. A vacina está a ser aplicada em doentes que sofrem de melanomas com metástases, ou seja, cancros que alastraram.


Durante dois anos, estes 25 doentes vão receber, no total, quatro implantes desta vacina, com intervalos de vários meses. Os implantes requerem uma cirurgia minimamente invasiva.
 

Embora a vacina WDVAX seja o primeiro implante de combate ao cancro que está a ser testado em humanos, o artigo da revista Nature relata que já estão a ser desenvolvidos outros sistemas semelhantes que podem, por exemplo, ser injetados no corpo humano, junto das células cancerígenas, para reforçar o sistema imunitário localmente.

 

Notícia sugerida por David Ferreira

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close