Mundo

Canadá: Comunidade lusa une-se para salvar jovem

A comunidade portuguesa residente na província de Ontário, no sul do Canadá, está a mobilizar-se para ajudar um jovem luso-descendente a conseguir um transplante de células estaminais.
Versão para impressão
A comunidade portuguesa residente na província de Ontário, no sul do Canadá, está a mobilizar-se para ajudar um jovem luso-descendente a conseguir um transplante de células estaminais graças aos esforços desenvolvidos pela mãe e amigos da família de John Divo, de 20 anos, que sofre de leucemia de linfóide aguda (LLA).
 
Em declarações à Lusa, Cristina Walker, amiga da família e residente em Kitchener,cidade canadiana localizada no sudoeste da província de Ontário, revelou que “a comunidade portuguesa [da cidade] e cidades vizinhas está a ajudar bastante” na busca por um dador compatível.
 
Prova disso é que “nos vários locais onde têm sido os testes de compatibilidade, a afluência foi tanta que os 'kits' de teste esgotaram”, conta a portuguesa, que acrescenta que o jovem foi diagnosticado em Dezembro de 2013 depois de uma avaliação efetuada pelos serviços médicos do clube de hóquei no gelo que John Divo representa.
 
Depois do início do tratamento de quimioterapia, o jovem estava a recuperar, mas, no passado dia 13 de Novembro “foram-lhe detetadas células cancerígenas no sistema nervoso central”, o que piorou o quadro clínico e motivou a onda de solidariedade, justifica Fátima Rapinha, mãe de John Divo e natural do Pico, nos Açores, que mora no Canadá há 42 anos. 
 
“Agora é urgente a transfusão de células estaminais, que os médicos aconselham que deve ser feita até Janeiro de 2015”, esclarece a progenitora, informando que os “dadores devem ter entre 17 a 35 anos de idade” e que “o teste é simples”, sendo feito “através de um aparelho que analisa a compatibilidade” através da saliva. 
 
John Divo, que já esteve presente em alguns locais onde se efetuaram testes para divulgar a sua situação e sensibilizar possíveis dadores, está a receber tratamento em dois centros de luta contra o cancro, o Juravinski Cancer Center, em Hamilton, e o Grand River Cancer Center, em Kitchener, onde reside.
 
O luso-descendente iniciou também, no passado dia 9 de Dezembro, o tratamento de radioterapia, que deverá ficar concluído na véspera de Natal. Se não for encontrado um dador compatível a 100%, a dádiva terá de ser feita pelo pai ou pela mãe do jovem, mas, tratando-se dos progenitores, a compatibilidade será de apenas 50%.

O potenciais dadores podem registar-se no Serviço de Sangue Canadiano, através do programa OneMach, ou nas entidades de saúde dos respetivos países, designadamente na Cruz Vermelha, e os pais de John Divo incentivam todos os que possam ajudar a tentar fazê-lo, não só para benefício do filho mas de “todos aqueles que têm o mesmo problema”. 
 
A LLA, também conhecida como leucemia linfoblástica aguda, é um cancro das células brancas (leucócitos) do sangue caraterizado pela produção maligna de linfócitos imaturos (linfoblastos) na medula óssea. A doença, que pode atingir tanto adultos como crianças, progride com grande rapidez, requerendo tratamento urgente.
 
A próxima ação de sensibilização de dadores decorre esta segunda-feira na igreja local Steinmann Mennonite, localizada em Baden, nos arredores da cidade de arredores 
 
Atualmente, calcula-se que existam cerca de 550 mil portugueses e luso-descendentes no Canadá, residindo a grande maioria na província de Ontário.

Notícia sugerida por António Resende

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close