Negócios e Empreendorismo

Calçado português vai reforçar presença na China

A indústria portuguesa de calçado vai promover, ao longo de 2013, a "maior ofensiva de sempre" no mercado chinês, estando a preparar várias ações promocionais destinadas a explorar o elevado potencial detetado naquele país.
Versão para impressão
A indústria portuguesa de calçado vai promover, ao longo de 2013, a “maior ofensiva de sempre” no mercado chinês, estando a preparar várias ações promocionais destinadas a explorar o elevado potencial detetado naquele país.
 
O anúncio foi feito pela Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado (APPICAPS), que revelou que as estimativas apontam para que, atualmente, cerca de 5% da população chinesa tenha um poder de compra elevado, o que, na prática, se traduz em “65 milhões de potenciais consumidores de produtos de gama superior ou de luxo”.
 
Segundo a associação do setor, este é “um argumento de peso que está a atrair empresas de todo o mundo” e o calçado português não é exceção, estando “atento” e a preparar-se para dar início, este ano, a uma “aposta sem precedentes” na China.
 
Já em Abril, 12 empresas portuguesas vão marcar presença na Micam Shanghai, na capital económica da China, que conta com mais de 23 milhões de habitantes. Trata-se do “primeiro grande evento” totalmente destinado à fileira do calçado naquele país realizado por uma entidade europeia, a Micam.
 
De acordo com a APICCAPS, os organizadores da Micam – a maior feira de calçado do mundo, que se realiza duas vezes por ano em Milão – estão “fortemente empenhados em realizar ma grande operação em território chinês”, sendo aguardadas na Micam Shanghai várias empresas “de referência” espanholas, italianas e portuguesas.
 
Em julho será a vez de 10 a 12 empresas portuguesas marcarem presença na Novomania, uma das feiras internacionais de moda que têm lugar anualmente em Xangai com marcas de dezenas de países a nível mundial.
 
O diretor-geral do certame, o gestor português Guilherme Faria, que há mais de uma década reside no Extremo Oriente, “Portugal tem imenso potencial” e, em particular na área do calçado, apresenta uma “grande qualidade”. 
 
Depois de oito empresas lusitanas terem participado na edição de 2012 deste evento (cinco na área do calçado e três de vestuário), a presença portuguesa deverá, assim, ser reforçada, acompanhando o crescimento da própria feira, que prevê, em 2013, atrair 20.000 visitantes.
 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close