Negócios e Empreendorismo

Calçado de trabalho português nos pés da McLaren

O calçado profissional Lavoro, produzido em Guimarães, é o eleito, lá fora, para calçar engenheiros da McLaren, no Reino Unido, os membros da Guarda Real, em Omã, no Médio Oriente, e ainda vários mineiros na Mongólia.
Versão para impressão
O calçado profissional Lavoro, produzido em Guimarães, é o eleito, lá fora, para calçar engenheiros da McLaren, no Reino Unido, os membros da Guarda Real, em Omã, no Médio Oriente, e ainda vários mineiros na Mongólia. 
 
“O nosso mercado tradicional era a Europa, mas, com a conjuntura económica dos últimos anos, tivemos de nos virar para outros lados”, refere José Freitas, responsável comercial da marca portuguesa, à Lusa.

“Atuamente estamos na Europa de Leste, no Médio Oriente e também em África, onde conseguimos ter alguma presença no Egito e na Nigéria. Além disso, demos, há pouco tempo, os primeiros passos para a Zâmbia”. 
 

O sucesso traduz-se nas exportações de 90% dos 600.000 pares de sapatos, que fabrica anualmente, para 50 países diferentes no mundo. Os principais clientes encontram-se na Alemanha, Suíça, Áustria, Benelux, Escandinávia e Reino Unido. 
 
Ainda assim, “nos últimos dois/três anos” eis que se apostou no Médio Oriente e, hoje, entre os clientes já angariados pelo Qatar, Dubai, Omã e Barém, é possível encontrar a Guarda Real de Omã, para onde a Lavoro vende calçado profissional “do tipo militar”. 
 
O empresário afirma que o segredo do sucesso da marca passa pelo desenvolvimento, quase personalizado, do calçado mais adequado a cada tipologia de ambiente de trabalho. “Por exemplo, no Médio Oriente, o segmento em explosão é o petróleo e o gás, pelo que tivemos de nos adaptar, desenvolvento uma gama de calçado profissional adequado a esse segmento”, adianta.
 
No caso dos engenheiros e técnicos de mecânica automóvel do Grupo McLaren, sediado no Reino Unido, a Lavoro desenvolveu “um sapato leve, flexível e desportivo” que se adaptasse ao espírito da empresa, mas cujas biqueira em compósito, para proteger do impacto, e palmilhas resistentes à perfuração asseguram a segurança necessária. 


Relativamente à empresa mineira que a marca fornece na Mongólia, os rigores da atividade e do clima extremamente frio são contornados com “uma gama de calçado com forro em pêlo de carneiro verdadeiro, que resiste a temperaturas de '20ºC ou mesmo -30ºC”.

Entre os clientes da marca estão também a KLM, na Holanda, as linhas aéreas Emirates Airways, dos Emirados Árabes Unidos, a Mercedes, na Alemanha e a Coca-Cola, na Sérvia.
 
Em Portugal, onde é líder de mercado no segmento do calçado profissional, a empresa de Guimarães fornece marcas como a Efacec, no Porto, a Bosch, em Aveiro, e a OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal, em Alverca.
 
Ao fim de 28 anos no mercado de calçado profissional e de segurança, emprega cerca de 180 trabalhadores e conta com uma faturação na ordem dos 15 milhões de euros. 

Saiba mais sobre a marca portuguesa que está a calçar o mundo AQUI.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close