Sociedade

Braga: Doentes mimados com cuidados de beleza

Maquilhagem, manicure ou pedicure são cuidados que consideramos banais. Porém, para os pacientes do Hospital de Braga, alegram os dias que demoram a passar.
Versão para impressão
Maquilhagem, manicure e pedicure, depilação ou tratamentos de rosto e corpo são cuidados que estamos habituados a encontrar com facilidade em cabeleireiros ou centros de estética e que consideramos banais. Porém, para os pacientes que se encontram internados no Hospital de Braga, estes são mimos que alegram os dias que a doença torna difíceis de passar. 
 
O projeto “Oficina de Estética” ambiciona isso mesmo: estimular a autoestima dos doentes e fazê-los mais felizes. Promovida pelo curso de Aprendizagem de Esteticismo e Cosmetologia da Die Afpel desde Novembro de 2011, a iniciativa já deu um pouco de cor à vida aos utentes de várias Instituições Particulares de Solidariedade Social como lares de terceira idade, centros de dia e apoio domiciliário ou unidades de cuidados continuados. Agora, ampliou o seu campo de atuação.
 
Benedita Aguiar“Por ser um curso apoiado por fundos públicos [provenientes do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP)] entendemos que se poderia criar um projeto, aberto à comunidade, de modo a fazer chegar os cuidados de estética e de cosmética às pessoas que se encontram em situação de especial vulnerabilidade”, explica, em entrevista ao Boas Notícias, a diretora pedagógia da Die Apfel, Benedita Aguiar.
 
Foi assim que, pela primeira vez, a “Oficina de Estética” se estendeu a um hospital – o Hospital de Braga – onde, uma vez por semana, as alunas do curso, sob orientação dos formadores, oferecem a homens e mulheres uma atenção especial que tem sido recebida com entusiasmo. “A iniciativa está a ter um excelente acolhimento, porque as formandas estão bem preparadas para o exercício das tarefas e porque os tratamentos são gratuitos”, revela Benedita.
 
“No outro dia uma utente disse-me: 'Isto não parece um hospital, parece um spa de luxo!”, conta, acrescentando que “é comum os utentes referirem que não se sentem esquecidos, que têm um tratamento personalizado e individualizado”, uma opinião também partilhada pelas famílias, cientes da importância deste tipo de gestos.
 
Ao mesmo tempo que mimam aqueles que se encontram mais fragilizados, as alunas têm a oportunidade de aperfeiçoar conhecimentos e de aplicar, na prática, aquilo que aprendem, o que constitui outra das mais-valias deste projeto. 
 
“As formandas têm tido bastante trabalho, o que é fantástico para o processo de ensino-aprendizagem: aprendem a prestar todos os cuidados estéticos e cosmetológicos em peles mais vulneráveis, com determinadas especificidades”, defende a diretora pedagógica.

Benedita Aguiar salienta ainda o facto de esta ser a primeira colaboração com um hospital o que, “dada a sua dimensão, constitui uma experiência de crescimento pessoal e profissional” para estas jovens. 

 
A iniciativa vai decorrer ao longo de todo o ano e, em 2013, após a conclusão do curso atual, uma nova turma continuará a assegurar que estes utentes não deixam de se sentir bonitos e confiantes. “Sem dúvida que este projeto é para repetir, pois os resultados são excelentes”, conclui Benedita. 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close