Sociedade

Braga: banco público de terras bem sucedido

Arrendar terras que não são cultivadas a quem está disposto a trabalhá-las é o objetivo do banco público de terras. Atualmente em Cabeceiras de Basto, em Braga, onde mais de dois terços das terras estão sem uso, este projeto piloto está a ser impleme
Versão para impressão
Arrendar terras que não são cultivadas a quem está disposto a trabalhá-las é o objetivo do banco público de terras. Atualmente em Cabeceiras de Basto, em Braga, onde mais de dois terços das terras estão sem uso, este projeto piloto está a ser implementado com sucesso.

A medida foi pensada pelo Ministério da Agricultura para recuperar e aproveitar terrenos abandonados. O presidente da Câmara de Cabeceiras de Basto decidiu começar a implementar esta ação no concelho para recuperar os terrenos agrícolas e ajudar a prevenir incêndios no verão.

De acordo com a TSF, a autarquia já recebeu à volta de 30 pedidos de pessoas interessadas em arrendar as terras identificadas como abandonadas. O autarca Joaquim Barreto destacou a medida como uma oportunidade de as pessoas conseguirem ainda tirar uma forma de rendimento em tempos de crise.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close