Inovação e Tecnologia

Bosch: Casas inteligentes criam 150 empregos em Aveiro

A Bosch Termotecnologia iniciou, a semana passada, em Aveiro, a construção do seu segundo Centro de Investigação e Desenvolvimento de soluções para as casas inteligentes do futuro, um investimento de 25ME que vai dar emprego a 150 engenheiros.
Versão para impressão
A Bosch Termotecnologia iniciou, a semana passada, em Aveiro, a construção do seu segundo Centro de Investigação e Desenvolvimento de soluções para o aquecimento de água e climatização das casas inteligentes do futuro, um investimento de 25 milhões de euros que deverá permitir, até 2020, a contratação de 150 engenheiros portugueses.
 
Em comunicado enviado ao Boas Notícias, a multinacional explica que nesta nova unidade aveirense vão ser desenvolvidas tecnologias focadas na conectividade dos aparelhos, na eficiência energética e na redução de emissões para residêcias sustentáveis, prevendo-se que a construção do centro esteja finalizada em 2016.
 
A primeira pedra do novo edifício foi lançada na sexta-feira pelo Ministro da Economia, António Pires de Lima, que, em Janeiro último, visitou as instalações da sede da Bosch na Alemanha e esteve reunido com um dos membros do Conselho de Administração do Grupo.
 
A propósito do início da construção, o governante destacou “a importância para Portugal de empresas como a Bosch, não só pela perspetiva do investimento mas também pela aposta nos portugueses, permitindo ao país reter talentos com a criação de emprego altamente qualificados”.

Multinacional já tem 3.500 colaboradores em Portugal
 

Com efeito, a Bosch, que tem, atualmente, 3.500 colaboradores no nosso país, dos quais 250 estão nos centros de desenvolvimento de Aveiro, Braga e Ovar, é um dos maiores empregadores em Portugal, pretendendo continuar a investir e contratar, nomeadamente engenheiros para os seus projetos de inovação. 
 
O próximo objetivo será duplicar, até 2020, o número de engenheiros nos seus centros de I&D em Portugal, uma “localização estratégica para a Bosch na Europa”, afirma João Paulo Oliveira, presidente da Bosch Termotecnologia. 
 
Somos cada vez mais competitivos e distinguimo-nos pela elevada qualidade dos nossos recursos humanos, pelo elevado índice de inovação e qualidade dos nossos produtos, e pelo nosso desempenho industrial. O Grupo reconhece essas vantagens competitivas e, neste sentido, tem consolidado a sua presença no nosso país com novos projetos tanto na área da produção como no I&D”, destaca o responsável.
 
De realçar que, nos últimos anos, a Bosch reforçou ainda a sua parceria com entidades governamentais em Portugal, nomeadamente através da sua unidade em Braga, que está atualmente a desenvolver 14 projetos de I&D em parceria com a Universidade do Minho. 
 
No âmbito deste projeto, parcialmente financiado com fundos europeus, a multinacional deverá investir 19 milhões de euros naquela cidade portuguesa em 2015. A empresa já entregou uma nova candidatura aos fundos do Compete no valor de 48 milhões de euros a serem investidos até 2018, de forma a garantir a continuidade das suas atividades de inovação em parceria com a Universidade do Minho.
 
A Bosch Termotecnologia está, igualmente, neste momento, em fase de discussão final para a realização de um projeto semelhante com a Universidade de Aveiro.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close