Sociedade

Boas ações contribuem para aliviar ansiedade social

As boas ações são eficazes no combate à ansiedade social e podem contribuir para ajudar as pessoas que se sentem desconfortáveis com novas interações a comunicarem mais facilmente com quem não conhecem, concluiu um estudo canadiano.
Versão para impressão
As boas ações são eficazes no combate à ansiedade social e podem contribuir para ajudar as pessoas que se sentem desconfortáveis com novas interações a comunicarem mais facilmente com quem não conhecem, concluiu um estudo desenvolvido por especialistas canadianos.
 
Aqueles que sofrem de ansiedade social são muito mais do que apenas tímidos: lidar com os outros fá-los, muitas vezes, sentir-se tão ameaçados e assustados que preferem evitar ao máximo a socialização, prevenindo a angústia, mas perdendo, ao mesmo tempo, a intimidade adquirida nas relações com terceiros. 
 
Face aos benefícios já conhecidos associados à realização de boas ações (que, de acordo com investigações anteriores, aumentam a felicidade e promovem interações sociais mais positivas), os investigadores da Simon Fraser University e da University of British Columbia quiseram analisar os seus efeitos mais profundamente.
 
No âmbito do estudo, que acaba de ser publicado na revista científica Motivation and Emotion, a equipa procurou apurar se, ao longo do tempo, a natureza pró-social da gentileza e das boas ações é capaz de alterar o nível de ansiedade experienciado por estes indivíduos no contacto com os outros e contribui para facilitar o seu relacionamento com o próximo.
 
Os investigadores recrutaram 115 estudantes com elevados níveis de ansiedade social, que, ao longo de quatro semanas, foram divididos em dois grupos. Parte dos jovens realizaram boas ações – como lavar a loiça dos colegas, cortar a relva dos vizinhos ou fazer uma doação a uma instituição -, outros foram apenas expostos a interações sociais e um terceiro grupo limitou-se a registar o que acontecia em cada dia.
 
No final da experiência, observou-se uma redução significativa no desejo de evitar situações sociais entre os que participaram, ativamente, em atos solidários. Esta diminuição foi especialmente sentida no início da intervenção, um facto que “apoia o valor dos atos de generosidade como forma de travar as tentativas de evitar a socialização”.

Generosidade afasta medo de uma possível rejeição
 

Segundo os investigadores, liderados por Jennifer Trew e Lynn Alden, “[as boas ações] ajudam a contrariar o medo de uma possível rejeição e diminuem os níveis temporários de ansiedade e 'stress'”, pelo que poderão ser utilizadas como forma de intervenção para ajudar os pacientes com ansiedade social a ter uma vida mais satisfatória.
 
“Os atos de generosidade combatem as expetativas sociais negativas, promovendo uma perceção mais positiva [do mundo] e daquilo que as pessoas esperam no seu ambiente social”, explica Trew, em comunicado. “Ao reduzir os níveis de ansiedade, faz com que tenham menos vontade de evitar situações sociais”, acrescenta a investigadora.

Clique AQUI para aceder ao estudo (em inglês).

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close