Ambiente

Biomares restaura biodiversidade marinha

A iniciativa dá pelo nome de Biomares e o seu plano de ações passa pela recuperação das pradarias de ervas marinhas, pela instalação de amarrações e de uma doca flutuante para um acesso seguro às embarcações que não prejudique a vida marinha, bem com
Versão para impressão
A iniciativa dá pelo nome de Biomares e o seu plano de ações passa pela recuperação das pradarias de ervas marinhas, pela instalação de amarrações e de uma doca flutuante para um acesso seguro às embarcações que não prejudique a vida marinha, bem como pela sensibilização da opinião pública. Tudo no Parque Marinho Professor Luiz Saldanha, integrado no Parque Natural da Arrábida.  

O objetivo é restaurar a biodiversidade em habitats considerados essenciais pela União Europeia: bancos de areia permanentemente cobertos por água do mar pouco profunda, recifes e grutas marinhas submersas ou semi-submersas. 

Uma das mais importantes intervenções do Biomares no Parque Marinho prende-se com a renovação dos recursos marinhos, por via do transplante de plantas recolhidas em locais dadores – o Estuário do Sado, o Rio Mira e a Ria Formosa são alguns dos exemplos. Em meio controlado, serão efetuadas experiências com germinação de sementes e desenvolvimento de plantas a partir daquelas, de modo a aumentar a diversidade genética da população transplantada.

O Biomares prevê ainda uma atenta monitorização da pesca local, já que muitas das suas práticas – assim como as que se verificam em algumas atividades de recreação e lazer – são apontadas como o principal fator de ameaça da biodiversidade existente no Parque Marinho.

A equipa, constituída por mais de 30 especialistas nas áreas das Ciências do Mar, Ambiente e Biologia, espera conseguir diminuir a probabilidade de extinção local de espécies residentes e crê que as áreas adjacentes beneficiem da migração de adultos e juvenis de diversas espécies, através da exportação de ovos, larvas e propágulos.

O projeto envolve entidades nacionais e internacionais, entre elas o Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade (ICNB), o Instituto Nacional de Recursos Biológicos (IPIMAR) e o National Oceanic and Atmospheric Administration.

O Parque Marinho ocupa uma área de 52 quilómetros quadrados, entre a Serra da Arrábida e o Cabo Espichel, estendendo-se entre as praias da Figueirinha e da Foz.

Saiba mais sobre o Biomares aqui.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close