Ambiente

Berlengas: Voluntários constroem ninhos para Cagarras

NULL
Versão para impressão

Um grupo de seis voluntários chega, esta sexta-feira, à ilha da Berlenga para recuperar e construir ninhos de cagarra, uma ave marinha com mais de duas centenas de casais na zona. O projeto foi mobilizado pela Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA).

Joana Andrade, responsável pelo projeto, explicou ao Boas Notícias que a iniciativa “vem no seguimento de uma ação promovida em 1999”, em que foram construídos 60 ninhos.

No entanto, a SPEA tem reparado que “alguns já não estão em bom estado e não podem ser ocupados”. Agora, a instituição vai fazer a recuperação e manutenção destes primeiros ninhos artificiais colocados na ilha há mais de 10 anos e construir outros 40.

Esta sexta-feira chega o primeiro grupo de voluntários à ilha da Berlenga, onde vai ser feito o trabalho.

Joana Alvarenga explicou que os ninhos serão construídos “com caixas de madeira semelhantes às da fruta, mas com um dos lados aberto”. As caixas serão colocadas em zonas planas e cobertas de rocha.

Um trabalho de acompanhamento

Para além da construção dos ninhos, a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves trabalha também na monitorização e acompanhamento individual das cagarras, através de dispositivos eletrónicos que conseguem identificar por onde andaram as aves.

Segundo Joana Alvarenga, o acompanhamento desta espécie “resulta muito bem porque a sua taxa de ocupação no arquipélago é muito elevada”.

Cagarra é a “Ave do Ano”

A Cagarra, escolhida pelos sócios da SPEA como a Ave do Ano 2011, é uma espécie que existe tanto no continente como na Madeira e nos Açores. No entanto, as Berlengas são o único lugar em Portugal Continental onde estas aves nidificam, estando a sua população estimada a 800 casais em todo o arquipélago.

Esta iniciativa da SPEA, que decorre até ao dia 23 de agosto, surge no âmbito do projeto FAME – Future of the Atlantic Marine Environment. O FAME é financiado pelo Programa Espaço Atlântico e esta ação em particular teve o apoio do Pingo Doce, que facultou os mantimentos para os voluntários.
 

[Notícia sugerida por Teresa Teixeira]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close