Ciência

Berlengas: Expedição descobre novas espécies

Os cientistas que integram a expedição às Berlengas, ao largo de Peniche, descobriu mais de 120 novas espécies, entre as quais quatro ou cinco que deverão ser totalmente novas para a Ciência.
Versão para impressão

Os cientistas que integram a expedição às Berlengas, dedicada a analisar o que esconde o mar que rodeia o pequeno arquipélago ao largo de Peniche, descobriu mais de 120 novas espécies, agora observadas pela primeira vez naquele local. Entre estes achados estão quatro a cinco espécies que deverão ser totalmente novas para a Ciência, anunciou a equipa.

No último dia a bordo do antigo bacalhoeiro “Creoula”, o coordenador da missão, que terminou no Domingo, disse à Lusa que o investigador alemão Bjorne Bening, especialista em briozuários – organismos pouco estudados que parecem plantas mas são animais -, terá descoberto quatro ou cinco organismos desse grupo que eram, até ao momento, desconhecidos para os cientistas. 
 
Contudo, de acordo com Frederico Dias, a validação da descoberta carece ainda de estudos laboratoriais, cujo início está previsto para imediatamente após o término da expedição. Nos 61 mergulhos efetuados, os cientistas reuniram “registos de 120 espécies encontradas pela primeira vez nas Berlengas”, recolheram 5.000 amostras e 100 gigabytes de imagens, revelou o cientista.
 
Além dos briozuários, a equipa descobriu também algas, moluscos, um coral, um peixe e um grupo de organismos semelhantes a vermes, as poliquetas. Segundo Frederico Dias, que acredita que a expedição vai contribuir com 10 mil novos registos para o sistema “m@rbis”, a missão “superou as expetativas”
 
O coordenador admitiu vir a realizar, no próximo Verão, uma nova expedição científica àquele arquipélago, considerado o maior viveiro natural da costa oeste atlântica, não só por ser a fronteira entre as águas frias e quentes, mas também por beneficiar da proximidade ao Canhã da Nazaré, já que este tem ainda “muito por conhecer”.
 
A bordo do “Creoula” estiveram 80 pessoas, desde mergulhadores a investigadores e estudantes universitários que, em conjunto, trabalharam para fazer a cartografia e caracterizar as espécies encontradas.

A campanha foi promovida pela Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental, detentora do sistema “m@rbis”, que tem caracterizadas as espécies e habitats existentes ao longo da costa portuguesa. 

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close