Ambiente

Berlengas: Alargada proteção das aves selvagens

De acordo com a portaria publicada, esta quinta-feira, dia 17 de Maio, em Diário da República, o Governo alargou a zona de proteção das aves selvagens nas Berlengas, ao largo de Peniche.
Versão para impressão

O Governo alargou a zona de proteção das aves selvagens nas Berlengas, ao largo de Peniche. O alargamento foi dado a conhecer através de uma portaria publicada, esta quinta-feira, dia 17 de Maio, em Diário da República.

O decreto-lei vem alterar a zona de proteção, incluindo a partir de agora as áreas de alimentação e repouso da cagarra, uma espécie de ave selvagem que ali habita.

Segundo a Lusa, esta mudança, que decorre também de uma diretiva comunitária, tem como objetivo “assegurar a efetiva salvaguarda dos valores naturais em presença”, nomeadamente as áreas de “importância excecional para a conservação das aves selvagens”.

Classificado em 2011 como Reserva Mundial da Biosfera pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), o arquipélago das Berlengas é composto por três pequenas ilhas: Berlenga Grande, Estelas e Farilhões.

Nas ilhas nidificam seis espécies de aves marinhas: duas espécies de gaivotas, a cagarra (ou pardela), o corvo-marinho, o airo e o roque-de-castro.

A localização privilegiada do arquipélago contribui para a produtividade e diversidade de espécies e de habitats marinhos, bem como para uma paisagem única na região.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close