Inovação e Tecnologia

Baixa do Porto já está online

Agora, já é possível visitar algumas das lojas da baixa do Porto sem sair de casa. A nova plataforma Baixa Online, lançada em Maio, quer dinamizar o comércio da zona histórica da Invicta, sobretudo na área da moda.
Versão para impressão
Agora, já é possível visitar algumas das lojas da baixa do Porto sem sair de casa. A nova plataforma Baixa Online, lançada em Maio, quer dinamizar o comércio da zona histórica da Invicta, sobretudo na área da moda.

Acedendo ao site, que está disponível em português e inglês, o cliente só precisa escolher a loja ou categoria que lhe interessa, visualizar os produtos, e clicar pra fazer a compra online. O projeto ainda esté em fase piloto mas já conta com nove lojas e o objetivo é continuar a crescer.

A fundadora do site, Régia Machado, disse à agência Lusa que a Baixa Online tem por base a cidade do Porto mas pode, mais tarde, vir a estender-se a outras localidades.

Apesar do otimismo face ao projeto, Régia Machado, designer gráfica formada na Escola Superior de Artes e Design,  confessa que tem vindo a encontrar em alguns comerciantes “a desconfiança natural perante um projeto novo”.

“Andámos a desbravar terreno. Abordámos as lojas e explicámos o nosso conceito. E notámos a desconfiança dos lojistas, sobretudo dos mais velhos e tradicionais, para coisas novas e não palpáveis, como é o mundo digital. Alguns nem site na Internet têm”, explica.

Gerar mais economia

“Mas a adesão tem sido boa e crescente, porque é uma ferramenta que faz falta para ajudar a promover o comércio local”, disse Régia Machado, acrescentando que a ideia de criar o “Baixa Online” surgiu exatamente quando “passeava pelas ruas do Porto” ou quando procurava moradas ou informação e não encontrava dados na Internet.

Além deste serviço de compra e divulgação de produtos, que inclui promoções e passatempos, o “Baixa Online” conta com uma novidade, um serviço de consultadoria de moda, prestado pela psicóloga, Helena Martins, que se associou a este projeto há poucas semanas.

E Régia Machado garante que esta plataforma não tem por objetivo “substituir a venda”, mas sim “acrescentar valor” ao ato de comprar e investir no comércio local, até porque “muitas vezes as pessoas que visitam a plataforma só o fazem para ver o catálogo, preferindo dirigir-se às lojas para a compra final”, porque o importante é “multiplicar visitantes do site em compradores de artigos do Porto e no Porto”, gerando “mais economia”.

Clique AQUI para visitar a Baixa Online.

Notícia sugerida por Elsa Fonseca
 

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close