Sociedade

Baixa de Lisboa vai ter escola e jardim de infância

A Baixa lisboeta vai acolher, em breve, uma nova escola e jardim de infância. A construção do estabelecimento de ensino, cuja inauguração está prevista para o próximo ano letivo, insere-se nos esforços da autarquia para atrair jovens casais.
Versão para impressão
A Baixa lisboeta vai acolher, em breve, uma nova escola e jardim de infância. A construção do estabelecimento de ensino, cuja inauguração está prevista para o próximo ano letivo, insere-se num conjunto de esforços da autarquia destinado a atrair jovens casais que desejem viver nos prédios do centro da cidade e dar-lhes uma nova vida. 
 
A escola, localizada numa das alas do que foi o Convento e Tribunal da Boa Hora, no largo com o mesmo nome, à Rua Nova do Almada, terá capacidade para um total de 150 crianças: 100 alunos do ensino básico e 50 meninos e meninas em idade pré-escolar, aos quais se destina o jardim de infância.
 
De acordo com comunicado da autarquia, o complexo educacional vai ocupar cerca de 20% da extensa área daquele edifício histórico, dividindo-se por três pisos. A escola vai estar equipada com um gabinete médico com sala de isolamento, sala de reuniões para receber os pais, sala para a associação de pais, cozinha e refeitório, sala de professores, entre outros espaços. Porém, o que já existe será preservado, mantendo-se, por exemplo, os azulejos antigos.

Reverter desertificação da Baixa
 
Na apresentação do projeto, que decorreu no passado dia 13 de Setembro, em que a Câmara assinalou o arranque do ano letivo com a visita a várias escolas melhoradas, o presidente António Costa salientou a importância da construção deste equipamento para levar famílias à Baixa.
 
Segundo o edil, pela primeira vez em 50 anos, a Baixa tem vindo a inverter o processo de desertificação – os censos mostraram que em 2011, o número de famílias a habitar naquele local da cidade aumentou – e, para que o processo de revitalização se mantenha, são necessários estacionamentos, empregos e espaços como esta escola. 
 
Também Manuel Salgado, vereador e vice-presidente da Câmara, vê com bons olhos este projeto, que classificou como mais “uma peça do puzzle da revitalização da Baixa”. Apesar da crise financeira, Salgado mostrou-se otimista no prosseguimento do processo, já que, só nos últimos dois anos, foram aprovados 320 projetos de renovação de edifícios na zona.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close