Ambiente

Avião solar uniu Europa a África sem combustível

O Solar Impulse, avião experimental movido a energia solar, aterrou esta madrugada na capital de Marrocos depois do primeiro voo transcontinental efetuado no mundo por um aparelho deste tipo sem recurso a uma única gosta de combustível.
Versão para impressão
O Solar Impulse, avião experimental movido a energia solar, aterrou esta madrugada na capital de Marrocos, Rabat, depois de uma viagem de 20 horas que teve início em Madrid. Trata-se do primeiro voo transcontinental efetuado no mundo por um aparelho deste tipo sem recurso a uma única gota de combustível.
 
 “Foi, provavelmente, o voo mais bonito da minha vida. Sonhava voar sem utilizar combustível desde que era uma criança”, disse aos jornalistas o piloto Bertrand Piccard logo depois de abandonar a aeronave, com a satisfação estampada no rosto. 
 
O avião, que tem uma envergadura idêntica à de “monstros” da aviação como o Boeing 777 e o Airbus A340 e cujas asas estão cobertas por 12.000 células solares, tinha chegado a Madrid em Maio após ter cumprido a primeira fase do percurso, que arrancou na Suíça.
 
Porém, a continuação da viagem foi atrasada por vários dias de mau tempo, que o impediram de seguir até Marrocos na data prevista, já que a aeronave só pode sair da pista quando a meteorologia está a seu favor. Ontem, o objetivo foi finalmente alcançado e o Solar Impulse cumpriu um total de 2.500 quilómetros alimentado pela energia do Sol.
 
De acordo com Piccard, a escolha daquele país africano como destino deve-se aos planos ambiciosos do seu governo quanto à aposta na energia solar: Marrocos prepara-se para construir uma enorme central solar com para reduzir a dependência dos combustíveis fósseis e até, eventualmente, exportar parte da energia produzida para a Europa.
 
 “Viemos a Rabat devido à nossa admiração pelo programa pioneiro de Marrocos na área da energia solar”, adiantou o piloto, acrescentando que “toda a tecnologia do avião pode ser usada na vida quotidiana”.

Próximo objetivo é dar a volta ao mundo
 

Embora apenas consiga viajar com tempo soalheiro, o Solar Impulse apresenta uma vantagem face a outros modelos semelhantes graças a um sistema que lhe permite voar de dia e de noite através de baterias que são carregadas quando há sol e armazenam a energia para mais tarde.
 
Durante o percurso agora efetuado, a aeronave atingiu os 28.000 pés e alcançou velocidades máximas de mais de 120 quilómetros por hora, mais de metade da sua velocidade de cruzeiro habitual. 
 
Esta missão é considerada o “ensaio geral” para uma volta ao mundo que será efetuada pela equipa do Solar Impulse em 2014 com um avião melhorado e que efetuará paragens em cinco locais diferentes do planeta. 
 

Clique AQUI para aceder ao site do projeto.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close