Mundo

Atribuídos os “Prémios Nobel alternativos”

A Fundação Right Livelihood Award homenageou esta semana com o "Prémio Nobel Alternativo 2010" os esforços de quatro personalidades internacionais na luta e defesa dos direitos de povos. A Fundação escolheu entre 69 candidatos de países em desenvolvi
Versão para impressão
[O bispo Erwin numa das manifestações em defesa dos direitos dos indígenas]

A Fundação Right Livelihood Award homenageou esta semana com o “Prémio Nobel Alternativo 2010” os esforços de quatro personalidades internacionais na luta e defesa dos direitos de povos. A Fundação escolheu entre 69 candidatos de países em desenvolvimento, entre eles um brasileiro, um nigeriano, um nepalês e uma organização médica israelita.

O bispo brasileiro, de origem austríaca, Erwin Krautler foi dstinguido pelo seu trabalho de defesa dos povos indígenas e pela preservação da Amazónia.

“Por uma vida de trabalho dedicada aos direitos humanos e ambientais de povos indígenas e pelos seus incansáveis esforços de resgate da Amazónia aos perigos da destruição”, é assim que a Fundação justifica a atribuição do prémio que decorreu em Estocolmo.

O trabalho do Bispo, de 71 anos, permitiu a inclusão dos direitos indígenas na Constituição brasileira de 1988. Promoveu o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) que impulsionou projetos importantes de construção de casas, escolas e centros para crianças, mães e grávidas.

Foi ainda um dos grandes opositores da construção da hidroelétrica na região do rio Xingu, que causaria danos irreparáveis à região.

O “Prémio Nobel Alternativo” foi também atribuído a um ecologista nigeriano, Nnimo Bassey, 52 anos, que lutou contra as petrolíferas de seu país. Foi homenageado por “revelar os horrores ambientais e humanos da produção de petróleo e por seu trabalho inspirador para fortalecer o movimento ecologista na Nigéria e de forma global”, segundo a decisão do júri.

Outro vencedor do prémio foi o nepalês Shrikrishna Upadhyay e sua organização Sappros, fundada por ele em 1991, por combater a pobreza.

O Nobel Alternativo premiou ainda a organização de Israel Médicos pelos Direitos Humanos (PHRI, na sigla em inglês), reconhecendo “seu espírito indomável trabalhando pelo direito à saúde do povo de Israel e da Palestina”.

O Right Livelihood Prize 2010 atribui aos quatro premiados um prémio no valor total de 200.000 euros, conforme afirma o júri em comunicado citado pela AFP.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close