Cultura

Artista autista desenha cidades de memória

O artista Stephen Wiltshire é capaz de desenhar fielmente cidades inteiras, depois de observar a sua paisagem por breves minutos. Em 2014 o britânico desenhou Singapura, para uma campanha que, este ano, foi premiada com três medalhas de ouro.
Versão para impressão
O artista Stephen Wiltshire é capaz de desenhar fielmente cidades inteiras, depois de observar a sua paisagem por breves minutos. Em 2014 o britânico desenhou Singapura, para uma campanha que, este ano, foi premiada com três medalhas de ouro.

A campanha “See The Big Picture“, organizada pela Singapore Press Holdings (SPH) para celebrar o 30.º aniversário da empresa, contou com o desenho de Stephen e conquistou 3 medalhas de ouro e uma de prata no concurso Mob-Ex Awards 2015, que decorreu em Fevereiro em Singapura.

Stephen tem vindo a conquistar fama mundial e vários prémios graças à sua capacidade de memorizar pormenores em poucos minutos e depois reproduzi-los detalhadamente num desenho.

Em 2009, o artista desenhou Nova Iorque depois de observar a cidade apenas durante alguns minutos, quando sobrevoou a 'Grande Maçã' de helicópetro.

Stephen Wiltshire, a quem já chamam a “The Human Camera”, foi convidado em 2009 pela UBS, uma empresa de recursos financeiros de nacionalidade suíça, para participar num anúncio integrado na campanha da empresa “We Will Not Rest”, desenhando a cidade de Nova Iorque.

Antes da elaboração do desenho, a empresa suíça UBS proporcionou a Stephen um passeio de helicóptero, de 20 minutos. Esta viagem foi suficiente para que o britânico conseguisse gravar na sua memória os detalhes para desenhar a mega metrópole.

No anúncio, o britânico de 41 anos, desenha de memória, um painel com detalhes minuciosos daquela cidade norte-americana. No total, foram precisos três dias para completar a obra, que agora pode ser apreciada no corredor das chegadas internacionais do terminal 1 do Aeroporto John F. Kennedy, em Nova Iorque. Com este trabalho, Stephen, que é licenciado em Belas Artes pela Guilds Art College, ganhou notoriedade internacional.

Memória fotográfica

Stephen possui memória eidética, aquilo a que vulgarmente chamamos de memória fotográfica, e que consiste na capacidade de se lembrar de coisas ouvidas e vistas, com alto nível de detalhe.

O britânico começou a desenvolver esta capacidade por volta dos seus sete anos. Devido ao autismo, Stephen tem dificuldades em relacionar-se com os outros, foi por isso que começou a utilizar o desenho como forma de expressão.

Além dos prémios já referidos, esta capacidade já valeu a Stephen o título de Member of the Order of the British Empire, atribuído pelo governo britânico em 2006, pelos serviços pelo artista ao mundo da arte. 

Atualmente, Stephen  Wiltshire é conhecido em todo o mundo e está presente em algumas coleções de arte importantes. Para além de Nova York, o britânico já teve a oportunidade de transpor para o papel cidades como Roma, Tóquio, Londres, Dubai ou Jerusalém.

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close