Cultura

Arte portuguesa ao ar livre no coração de Nova Iorque

Arranca esta sexta-feira mais uma edição das Summer Night Series em Nova Iorque, organizada pelo Arte Institute. A iniciativa leva ao público nova-iorquino, ao ar livre, o melhor do cinema, da música, da dança e das artes plásticas portugueses.
Versão para impressão
Arranca esta sexta-feira mais uma edição das Summer Night Series em Nova Iorque, EUA, organizada pelo Arte Institute. A iniciativa leva ao público nova-iorquino, ao ar livre, o melhor do cinema, da música, da dança e das artes plásticas portugueses.
 
Este ano, à semelhança do que aconteceu o ano passado, além de artistas contemporâneos portugueses, a organização decidiu convidar profissionais dos Estados Unidos, do Brasil, da Europa e outros países de expressão portuguesa.
 
O evento começa com uma mostra de cinema, composta por quatro curtas-metragens lusas: “Love's Physics”, de Joana Mendes, “From Myself”, de Carlos Melim, “Hope”, de Pedro Sena Nunes e “Forever Yours”, de André Gaspar.
 
No dia 1 de Agosto, Renato Diz sobe ao palco para um concerto em pleno coração de Nova Iorque. Dia 15 é a vez dos Chelpa Ferro e dia 29 será exibida uma peça de vídeo arte da FUSO. 

Público é maioritariamente americano
 

Em declarações à agência Lusa, Ana Ventura Miranda, diretora do Arte Institute, diz que “a adesão às Summer Night Series tem sido maior de ano para ano” e que “o público é bastante diversificado e maioritariamente americano”.
 
“Normalmente começamos a receber telefonemas, em Maio, a perguntar quando começa”, conta. No fim do evento, as reacções são sempre “extremamente positivas”, sendo a iniciativa uma das “mais eficazes na promoção do país” em Nova Iorque.
 
“O ambiente descontraído do parque propícia a que as pessoas estejam atentas e recetivas para saber mais sobre Portugal, os portugueses, a sua cultura e história”, explica a responsável.
 
As Summer Night Series terminam a 19 de Setembro, com um espetáculo da Edgar Cortes Dance Theater Company, com o bailarino e coreógrafo português Edgar Cortes.
 
Este ano na sua terceira edição, o evento conta com o apoio da autarquia de Nova Iorque, o que, para Ana Ventura, “mostra o interesse, qualidade e relevância do mesmo”.
 
“Ao continuarmos a internacionalizar os nossos artistas e a exportar a nossa imensa criatividade e contemporaneidade, mostramos que não somos um país moribundo e que temos ideias e vontade de ir mais longe”.
 
“Estamos a contribuir para que se repense o valor do nosso país e dos portugueses”, defendeu Ana Ventura Miranda.

Notícia sugerida por Maria da Luz

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close