Saúde

Aprendizagem musical trava perdas cognitivas

NULL
Versão para impressão
Um estudo recentemente publicado no jornal Neuropsychology, da Associação Americana de Psicologia, indica que a dedicação intensiva à aprendizagem de música traz benefícios em idade avançada, travando as perdas cognitivas que geralmente ocorrem na terceira idade.

Um grupo de 70 pessoas, com idades entre os 60 e os 83 anos, foi submetido a um conjunto de testes de memória e habilidade. Aqueles que tinham alguma experiência musical tiveram um melhor desempenho que os restantes, sugerindo que a aprendizagem de um instrumento pode conferir ao cérebro uma proteção natural contra as falhas cognitivas comuns entre idosos.

Todos os voluntários eram músicos amadores e tinham em comum o facto de terem iniciado a sua aprendizagem por volta dos dez anos. Aliás, a investigação desenvolvida por especialistas da Universidade do Kansas, nos EUA, indica que os anos de atividade musical também se relacionam com a capacidade cognitiva.

"Há períodos cruciais de plasticidade cerebral que potenciam a capacidade de aprendizagem, o que faz com que seja mais fácil tocar um instrumento antes de uma determinada idade", explica a cientista Brenda Hanna-Pladdy, citada pelo jornal britânico Daily Mail.

O estudo indica ainda que os benefícios cognitivos decorrentes da prática musical parecem não ser anulados em indivíduos que deixaram de estar envolvidos na atividade.

[Notícia sugerida pela utilizadora Maria Sousa]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close