Inovação e Tecnologia

Aparelho permite ‘ouvir’ através da língua

Um grupo de investigadores da Universidade do Colorado desenvolveram um aparelho que vai permitir que pessoas surdas recuperem a sua audição. O dispositivo é um auricular Bluetooth que deteta o som e envia impulsos elétricos para um pequeno aparelho
Versão para impressão
Um grupo de investigadores dos EUA desenvolveu um aparelho que vai permite que pessoas surdas recuperem a sua audição. O dispositivo é um auricular Bluetooth que deteta o som e envia impulsos elétricos para um pequeno aparelho colocado na língua, que irá ajudar na percepção das frases e sons.

Este aparelho “é muito mais simples de aplicar do que uma cirurgia e acreditamos será mais barato do que os implantes cocleares”, defende John Williams, um dos responsáveis pelo projeto.

O funcionamento do aparelho é simples: é um auricular Bluetooth composto por vários elétrodos que captam sons e palavras. Depois, ele envia, através do Bluetooth, os impulsos elétricos para um recetor.

O recetor envia estes impulsos para um aparelho que pressiona a língua contra o céu da boca, transmitindo sinais que equivalem a palavras. No fundo, trata-se de uma nova linguagem semelhante ao braille.

Basta que os utilizadores aprendem a reconhecer estes sinais, explica o site oficial da universidade. “O nosso cérebro é muito moldável, mesmo em adultos, e sabemos que ele está preparado para aprender estas mudanças”, conta uma das responsáveis pelo estudo, Leslie Stone-Roy.

De acordo com os investigadores, a língua é composta por milhares de nervos e a região do cérebro ligada à linguagem é capaz de interpretar sensações tácteis provinientes da língua. “Em dois ou três meses o cérebro

O objetivo, sublinham, é criar uma aparelho que seja tão simples e pequeno como o aparelho metálico que se usa nos dentes. 

A investigadora é responsável pela determinação das partes da língua que detetam os impulsos elétricos e se elas são iguais de pessoa para pessoa.

Para isso, lançou, juntamente com os outros investigadores, um teste no qual submeteu os participantes à colocação de elétrodos na boca e dizem o que sentiam e o quão fortes eram os impulsos elétricos.

Se a lingua se comportar da mesma forma para toda a gente, o aparelho poderá ser uniformizado com elétrodos colocados no receptor, em áreas comuns a toda a gente. Se não, terá que ser adaptado para cada utlizador, o que irá alterar o custo desta tecnologia.

Tecnologia ainda está em fase de testes

O protótipo do aparelho foi testado durante o último ano e atualmente já conta com o apoio da empresa Sapien LLC para o desenvolvimento de um aparelho mais prático e mais pequeno, de maneira a adaptar-se melhor à boca.

Esta inovação irá ser uma alternativa aos implantes cocleares que além de serem caros, não podem ser aplicados a toda a gente. Um implante deste género chega a custar cerca de 100 mil dólares (cerca de 90 mil euros) nos Estados Unidos.

“Os implantes cocleares são eficazes e transformaram muitas vidas, mas achamos que o nosso aparelho será igualmente eficaz com a vantagem de poder ser usado por a toda a gente”, destaca John, que durante a sua carreira desenvolveu diversos sistemas de propulsão elétrica para viagens ao espaço, como é o caso da NASA.

Notícia sugerida por Maria da Luz

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close