Educação e Formação Em Destaque

Aluno da UMinho no maior concurso mundial de Chinês

Henrique Pinto vai representar Portugal e quer no futuro mediar a ligação entre treinadores portugueses e jogadores chineses
Versão para impressão
por redação

Henrique Pinto, da Universidade do Minho, vai representar Portugal no Chinese Bridge, o maior concurso mundial de língua chinesa, que decorre no verão em Changsha, sul da China. O aluno do mestrado em Estudos Interculturais Português/Chinês e do Instituto Confúcio venceu a eliminatória portuguesa e vai procurar superar o legado de Samuel Gomes, também da UMinho, que em 2016 quase chegou à finalíssima dos 30 melhores do mundo, entre os 108 representantes presentes.

“Queria muito representar o meu país na China – à minha terceira tentativa, foi de vez, culminando alguns anos de estudo”, sorri o bracarense de 30 anos. Na eliminatória lusa respondeu a um quiz geral sobre a China, cantou e tocou à guitarra “Hua”, do artista Zhao Lei, e discursou sobre “o sonho comanda a vida”, tema definido pelo júri. E foi no discurso que mais surpreendeu, focando-se na sua dissertação de mestrado, “Treinadores de futebol de formação portugueses e o mercado chinês – uma perspetiva intercultural”.

“Tenho o sonho de poder ser uma ponte entre treinadores portugueses e jovens jogadores chineses, a nível linguístico e cultural”, explica, notando que no primeiro ano do curso foi às cidades de Zhuhai e Macau para estudar essa ligação. A popularidade do futebol disparou no gigante asiático. O Presidente Xi Jinping é fã da modalidade. Existem lá academias de formação de figuras como Luís Figo ou do Benfica e Sporting. Há sete treinadores portugueses em clubes daquele país. E os próprios chineses já decoraram os nomes “Muliniao” (Mourinho), “C luo” (Cristiano Ronaldo) e “Putaoya” (Portugal), vencedor do Euro’2016.

Apaixonado pelo futebol, professor e músico, Henrique Pinto enveredou há apenas quatro anos pelas Línguas Orientais, sobretudo o mandarim e o japonês, após ter passado por Informática e Design. “Nunca imaginei que ia adorar e que a vida ia tomar este rumo, mas estou mais do que satisfeito”, afirma. A eliminatória nacional do Chinese Bridge na categoria de alunos universitários teve no terceiro lugar outro representante da UMinho, Ana Maria Fernandes, que apresentou a dança do pavão. A categoria do ensino secundário foi igualmente ganha por um estudante do Instituto Confúcio da UMinho, Luís Quinta, que interpretou e dançou uma canção pop chinesa.

A final mundial do Chinese Bridge vai reunir os 108 campeões nacionais de mandarim, incluindo diversos desafios e exigência acrescida com o progredir das etapas. O concurso – que na China é um conhecido programa de entretenimento televisivo – tem o patrocínio da Hanban, a entidade do Ministério da Educação chinês que promove o ensino da língua e cultura chinesas no mundo.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close