Sociedade

Água canalizada portuguesa é de grande qualidade

NULL
Versão para impressão

A água que sai das torneiras em Portugal cumpre quase 100% dos valores de análise tidos em conta pela Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Saneamento (ERSAR). Num relatório anual divulgado pela entidade no fim de Setembro, a ERSAR concluiu que a água fornecida aos portugueses é de boa qualidade e se encontra, na grande maioria dos casos, corretamente monitorizada.

Enquanto entidade competente para a qualidade da água destinada ao consumo humano, a ERSAR efetua todos os anos uma análise global da qualidade da água, de norte a sul do país.

Os dados relativos a 2010 são otimistas, já que segundo informa o relatório, “o país mantém a tendência de melhoria em termos do controlo da qualidade da água para consumo humano, tendo sido atingido um valor de cumprimento da frequência regulamentar de amostragem muito próximo dos 100% e praticamente 98% de cumprimento dos valores paramétricos”.

Os casos de exceção referem-se a parâmetros sem impacto negativo na saúde humana, e os casos que realmente podem provocar malefícios foram identificados e acionados os mecanismos para a sua resolução.

Se analisarmos a evolução ao longo dos anos, é evidente a crescente preocupação que se tem registado quanto a este recurso, mostra o relatório. De 1993 a 2009 a percentagem de água controlada passou de 50% para 98%.

Regiões do interior são as menos analisadas

Se um dos grandes problemas deste setor era precisamente a falta de monitorização por entidades competentes, o que este relatório vem dizer é que o valor de análise tem sofrido uma evolução sem precedentes nos últimos anos, tendo mesmo atingido em 2010, 100% de análises realizadas em 228 concelhos portugueses. As regiões onde foram realizadas mais fiscalizações pela ERSAR foram a região Norte e Centro, em oposição aos Açores.

No entanto, apesar da melhoria dos níveis, a entidade autora do estudo considera que “há ainda um número apreciável de entidades gestoras, em regra de pequena dimensão e com um número significativo de zonas de abastecimento, que deverão rapidamente corrigir falhas”, lê-se no relatório.

Os maiores incumprimentos verificam-se na região do interior devido às “maiores carências de recursos humanos, técnicos e financeiros”, e nas zonas do abastecimento que servem menos de cinco mil habitantes.

“Apesar das assimetrias regionais serem evidentes nos pontos anteriores, uma análise mais cuidada dos dados revela que a amplitude destas assimetrias tem vindo a reduzir-se, lenta mas sustentadamente, o que evidencia o esforço realizado pelas entidades gestoras”, informa a ERSAR.

A ERSAR controla a qualidade da água de 432 entidades gestoras de abastecimento de água, o que reflete o universo total do setor em Portugal. A exceção são os sistemas de abastecimento particulares para uso privado, em que a fiscalização é assegurada pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE).

Para ler o relatório completo, aceda ao site da empresa clicando aqui.

[Notícia sugerida por Maria Manuela Mendes]

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close