Ciência

Agência Espacial Europeia recruta alunos portugueses

Das três equipas selecionadas pela Agência Espacial Europeia (AEE) para o programa Spin Your Thesis (SYT), uma é portuguesa. A equipa Achilles vai realizar uma experiência científica.
Versão para impressão
Agência Espacial Europeia (AEE) escolheu uma equipa portuguesa para o programa Spin Your Thesis (SYT). A equipa Achilles vai realizar uma experiência científica relacionada com hipergravidade, com o objetivo de encontrar novas terapias para lesões físicas.

A experiência está agendada para Setembro de 2016 e vai decorrer na centrifugadora de grande diâmetro (Large Diameter Centrifuge) da AEE, em condições de hipergravidade. O objetivo é perceber se é possível desenvolver pensos bioativos com materiais que permitam a regeneração dos tendões que sofreram lesões.

A experiência vem permitir estudar o comportamento de células derivadas do tendão em diferentes tipos de penso bioativo. “[A Achilles] pretende desenvolver novas técnicas de engenharia de tecidos com recurso a uma gravidade superior à existente na Terra para a recuperação de lesões nos tendões”, explica o MIT Portugal em comunicado de imprensa.

A investigação vai decorrer em diferentes níveis de hipergravidade (10, 15 e 20g), mas também em alturas temporais distintas. O sucesso da experiência pode dar origem a uma nova geração de terapias regenerativas no tendão.

“As técnicas hoje utilizadas para tratar lesões nos tendões têm pouca eficácia. Estão por isso a ser desenvolvidos pensos bioativos capazes de orientar a cura através da própria lesão”, explica o comunicado.

Portugueses veteranos em hipergravidade

A líder da equipa Achilles, Raquel Almeida, participa no programa SYT pela segunda vez. É estudante em doutoramento na Universidade do Minho.

Será acompanhada por Daniel Carvalho e Miguel Ferreira, ambos na segunda participação, e Elsa Silva. São alunos do Mestrado Integrado em Bioengenharia da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar.

A equipa será orientada por Manuela Gomes, investigadora do grupo 3B's da Universidade do Minho.

“Em 2014, este grupo fez parte da Equipa AngioGravity, que estudou a forma como a hipergravidade poderia afetar a formação dos vasos sanguíneos para possíveis aplicações em medicina regenerativa ou no tratamento de situações patológicas relacionadas com a vascularização”, diz o comunicado do MIT.

Raquel Almeida, Daniel Carvalho e Miguel Ferraira também integram a equipa que venceu o concurso Mars One University Competition, selecionada para enviar uma experiência para Marte.

A ser bem sucedida, a experiência pode resultar no crescimento das primeiras plantas no planeta vermelho. As sementes e os protótipos desenvolvidos pela equipa partirão da Terra em 2020 numa missão não tripulada.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close